9 de abril de 2007

PUI em Avis


…amanhã às três da tarde. Apareçam!

Foi este o convite, era este o convite que se renovava diariamente.

Uma rua com casas de dois pisos de um lado e do outro, de um dos lados alguns cafés e do outro, à esquina, a casa de Turismo. Ao cimo da rua umas escadas com meia dúzia de degraus e a igreja.

Todos os dias o número de braços que nos acenava ia aumentando. O número de crianças que connosco fazia a oração da tarde e brincava também foi aumentando.

À hora em que o véu do Templo se rasgava ao meio, e Jesus exclamava, dando um grande grito: “Pai, nas tuas mãos entrego o Meu espírito”. A mesma hora tornou-se a hora de encontro, a hora de alegria.

Na viagem de regresso a casa contemplava a imagem do dia seguinte. Às três da tarde, a mesma rua, as mesmas escadas, a igreja, e a carrinha que desta vez não chega.

No adro da igreja as crianças continuam a brincar…