27 de setembro de 2007

Cabeça na lua ou pés no solo?


O sonho é uma bola colorida entre as mãos de uma criança, a realidade as mãos de uma criança que seguram uma bola colorida.

O sonho rouba-nos da realidade e a realidade rouba-nos o sonho, numa fragmentação de estás dentro ou estás fora. Será que não posso estar dentro e fora?

Ricoeur re-liga a realidade e o sonho através da utopia. A utopia, no seu bom sentido, faz com que a realidade pule e avance (a imaginação movida pela vontade de crescer no mundo da terra). Sem bola as mãos param, sem mãos a bola perde-se.

Respondendo à pergunta: - Cabeça na lua e pés no solo! Ou melhor, pés na terra e coração em Deus!

Deus não é uma fuga da realidade, é uma espécie de “sonhe para fora cá dentro”. No fundo, sonhar no mundo é para mim sonhar com Deus uma vida que ultrapassa os limites das minhas forças e aproxima o horizonte do real. Para sonhar acordado com Deus, basta desejar libertar o fundo de boa vontade que há em mim, e esperar que o Espírito Santo sopre na bola colorida que está nas minhas mãos.