3 de outubro de 2007

S. Francisco Borja - Um ex-vice-grande-homem-do-mundo


Hoje comemoramos a festa de S. Francisco de Borja.
Um dos grandes do seu tempo, muitas vezes incompreendido e muito desconhecido nos nossos dias.
Vale a pena por isso deixar aqui dois pequenos textos que podem revelar-nos mais sobre este homem que foi recebido de braços abertos na Companhia de Jesus pelo seu fundador, Sto Inácio de Loiola.

Francisco de Borja era Espanhol, duque de Gandia, vice-rei da Catalunha, casado e com 8 filhos. Ao conhecer a Companhia de Jesus afeiçoou-se tanto a ela que fundou em seu ducado uma Universidade entregue à nova Ordem. Ao morrer-lhe a esposa, renunciou ao mundo e fez-se jesuíta, trilhando generosamente o espírito de S. Inácio. Teve que fugir de Roma para não ser feito cardeal. Ordenado sacerdote, foi eleito Geral da Companhia de Jesus após a morte do Pe. Diogo Lainez, que sucedera a Sto Inácio. Caracterizou-se por sua devoção ao Santíssimo Sacramento. Em seu tempo a Companhia organizou casas de formação e abriu missões em países da América Latina. Foi canonizado por Clemente X em 1671.

Assim como pela secura da terra murcham as flores e os frutos das árvores, assim também, quando a alma se entedia na oração e nos exercícios de piedade, secam-se as flores e os frutos espirituais. Por isso, quem pouco se exercita na meditação e na imitação de Cristo crucificado, mal aprenderá a sofrer e cairá na impaciência. E porque não medita assiduamente, na oração, sobre o conhecimento da própria baixeza e miséria, cai na estima própria e no desprezo do próximo.


(Retirado e adaptado de http://www.puc-rio.br/campus/servicos/pastoral/santo_outubro.html)
Na imagem: A despedida de S. Francisco de Borja da sua família - óleo sobre tela de Francisco Goya