14 de novembro de 2007

Hoje é dia de festa

Pedro Arrupe nasceu em Bilbau a 14 de Novembro de 1907, ou seja, há precisamente cem anos. Em 1923 partiu para Madrid onde estudou Medicina. Em Janeiro de 1927 entrou no Noviciado da Companhia de Jesus em Loyola, terra natal do fundador desta ordem religiosa, Sto. Inácio. Depois de alguns anos de formação em filosofia e teologia na Bélgica, Holanda e Estados Unidos, foi destinado à missão do Japão, para onde partiu em 1938. Durante 27 anos trabalhou neste país do Oriente. Aqui desempenhou vários cargos desde pároco, a mestre de noviços até provincial. Durante 33 dias foi preso sob suspeita de espionagem, viveu a primeira bomba atómica da história da humanidade, percorreu o mundo a contar a sua experiência e em 1965 foi eleito 28.º Superior Geral da Companhia de Jesus, cargo que exerceu até as forças o traírem no verão de 1981. Viveu uma década de limitação e doença até à sua morte em Roma no dia 5 de Fevereiro de 1991.

Não é certamente pelos seus 18 anos como Geral que aqui o recordamos, nem certamente pelo trabalho infatigável no Japão, nem ainda pelo seu desejo profundo de acabar com as injustiças no mundo. Arrupe foi muito mais. Evocamos o homem optimista, agarrado a uma esperança tão firme que nem a maior bomba da humanidade pôde afectar. O seu sorriso, que brotava atrevidamente nas adversidades, é o maior testemunho do seu jeito de caminhar. O seu segredo, esse não oferece dúvidas, “foi o meu ideal desde que entrei na Companhia, foi e continua a ser o meu caminho, foi e será sempre a minha força. Tirem Cristo da minha vida e tudo desabará como um corpo a que se retirasse o esqueleto, o coração e a cabeça.” Todavia não é Arrupe o protagonista desta história: é Jesus!