21 de novembro de 2007

Procurando o meu Princípio e Fundamento

Com tudo o que de bom a minha vida possa ter, estando eu a viver em Braga, o que me faz estar aqui a estudar… Filosofia… na Universidade Católica?

O que desejo para a minha vida? Que sentido lhe quero dar? Questiono-me a fim de não me perder com o que, no fundo de mim, considero secundário, mas que por vezes, tendo a esquecer! Perdendo o centro… sei que resvalo. Não é tanto pelo receio de cair, que também tenho, mas por temer desencontrar-me com o sentido no meu existir.

A resposta mais verdadeira que posso receber vem da relação com Deus.

Não quero desviar o meu olhar do Teu! Aí encontro-me. Contigo, sou. Com mais ninguém consigo ser eu, apenas aparência de mim. Contudo, a Teu lado, não quero ser outro, senão eu, uma vez que reconheço-me mesmo Amado por Ti, como eu sou.

Agora, focado na relação conTigo, relembrando-me do que me faz estar em Braga, posso ir tomar o pequeno-almoço com serenidade, e deixar escapar uma gargalhada interior. Só sou peregrino quando sei para onde vou!

Onde me queres levar, Senhor? Seguindo-Te, não me poderei perder (Diário Espiritual Sto Inácio Loyola)