27 de janeiro de 2008

Rogério José Boscovic (1711-1787)

Físico, matemático e filósofo


(Selo Jugoslavo de 1987)

Rudjer Josip Boskovic (em latim, Rogerio Josepho Boscovich) naceu em Ragusa, actual Dubrovnik, na Croácia, em Maio de 1711 e morreu em Milão, em Fevereiro de 1787. Foi jesuíta e um dos grandes cientistas do seu tempo, sabendo aliar a sua ciência ao saber universal da tradição humanista europeia. Foi físico, matemático, astrónomo, filósofo, diplomata e poeta, tendo estudado nos colégios jesuíticos de Dubrovnik e de Roma. Especializou-se em matemática e física no Colégio Romano, tendo sido designado para a cátedra de matemática deste colégio em 1740.

Como profissional da ciência e por razão das suas investigações, viajou e trabalhou em diversos países europeus, tendo vivido em França, Inglaterra e Itália. Escreveu cerca de uma centena de livros e de artigos. De entre as suas obras de maior envergadura, destacamos algumas das mais famosas: Sobre as Manchas Solares, O Transito de Mercúrio, A Aplicação do Telescópio nos Estudos Astronómicos, A Aberração das Estrelas Fixas, O Movimento dos Corpos Celestes num Meio não Resistente, Sobre Óptica e Astronomia (5 vols.), As Auroras Boreais, Os Diferentes Efeitos da Gravidade nos Vários Pontos da Terra, Elementos de Matemática Geral, Sobre a Divisibilidade da Matéria e os Elementos dos Corpos e Teoria da Filosofia Natural (Theoria Philosophiae Naturalis). Boskovic foi membro de diversas Academias de Ciências europeias, nomeadamente da Academia Russa das Ciências e da Royal Society de Londres, onde foi eleito membro em 1761.

Boskovic foi um defensor acérrimo da teoria de gravitação de Newton, que começou a estudar em 1735 no Colégio Romano. Foi o primeiro cientista a dar-se conta de que as forças de interacção atómica eram devidas a algo mais do que um mero efeito da gravitação. Na sua principal obra, intitulada Teoria da Filosofia Natural, publicada em Viena em 1758 (e posteriormente em Veneza, 1763, Londres, 1922, Estados Unidos, 1966, Zagreb, 1974), apresentou a sua própria teoria atómica da matéria e a sua teoria de forças. Nesta obra desenvolveu o conceito de átomo como um centro de forças de tipo pontual. Na proximidade dos átomos as forças alternavam entre atracção e repulsão, mas longe deles, só operavam as forças de atracção newtoniana. Para explicar a coesão ao nível microscópico, postulou a existência de forças entre as moléculas, cuja direcção e intensidade dependiam da distância inter-molecular. De acordo com a sua teoria, as forças entre átomos mudavam de sinal muitíssimas vezes, em número quase infinito, com a diminuição da distância inter-atómica. Isso exigia potenciais oscilantes, com mínimos relativos em número quase infinito, o que se assemelha à descrição actual dos estados quânticos estacionários.

Estas ideias de Boskovic exerceram uma grande influência nos principais físicos e químicos do século XIX, de tal modo que, mais de um século depois, forças desse tipo foram introduzidas na química-física, sendo actualmente conhecidas por forças de London e de van der Waals. O trabalho de Boskovic inspirou Michael Faraday no desenvolvimento da sua teoria de interacção electromagnética. A influência de Boskovic chegou também ao século XX. Rutherford baseou-se na descrição do modelo atómico de Boskovic para a construção do seu próprio modelo atómico e, de acordo com Lancelot Law Whyte, colaborador de Einstein, a teoria de Boskovic terá servido de base para as contribuições do pai da Teoria da Relatividade para uma teoria de campos unificada.

Boskovic deixou ainda o seu nome ligado a importantes fórmulas da trigonometria esférica e às secções das cónicas. Foi chamado a trabalhar na questão técnica da estabilidade da cúpula de São Pedro pelo papa Bento XIV, mediu um arco de dois graus para o meridiano entre Roma e Rimini e dirigiu o projecto do novo Observatório de Brera.

Os seus contributos na área da astronomia valeram-lhe a atribuição do seu nome a uma das crateras da Lua. O seu nome foi também atribuído a diversas instituições, nomeadamente ao maior instituto de ciências naturais e tecnologia de Zagreb, o Instituto Rogério Boskovic, em Zagreb, fundado em 1950, à Sociedade de Astronomia de Belgrado e ao Observatório de Kalemegdan. Uma imagem deste notável cientista aparece impressa em notas do dinar croata, emitidas pelo Banco da Croácia entre os anos de 1991 a 1994.

Boskovic é considerado um dos precursores da teoria atómica moderna. A sua obra mereceu a atenção de Heisenberg e foi objecto de várias reuniões científicas internacionais, realizadas na segunda metade do século XX, mas a importância dessa obra não foi ainda avaliada na sua totalidade. É de crer que o crescente interesse por esta eminente figura do século das Luzes, por parte dos historiadores da ciência, contribua decisivamente para lhe dar todo relevo a que tem direito como marco incontornável da história da física e da matemática.

Álvaro Balsas, S.J.