19 de março de 2009

Carta aberta ao Director do jornal Público

O Jornal Público habituou-nos a editoriais de extremo rigor, objectividade e oportunidade, assinados por José Manuel Fernandes. Foi por isso que fiquei surpreendido com o editorial do dia 18, quarta-feira, acerca das declarações do Papa aos jornalistas na sua viagem para África. Afirma Nuno Pacheco que as declarações do Papa se centraram nos preservativos, e que o mesmo Papa ‘recomendou, como alternativa, a abstinência sexual’. Compreendo que o director de um jornal como o Público nem sempre tenham tempo para verificar devidamente o fundamento das suas afirmações e tenham que confiar nas agências de notícias. Mas neste caso Nuno Pacheco deveria tê-lo feito para se pronunciar com rigor. Em primeiro lugar, o Papa não se centrou na questão do preservativo. Esta questão foi abordada como resposta a uma de seis questões que lhe foram colocadas: com que sentimentos se dirigia a África, se iria fazer uma apelo à comunidade internacional para ajudar a África a superar a sua pobreza, se iria pedir à Igreja Católica em África um exame de consciência e uma purificação das suas estruturas, de que modo a Igreja Católica se coloca perante as seitas e as religiões tradicionais africanas, se iria referir-se na sua viagem ao problema da Sida e, finalmente, se pensava dirigir ao continente africano uma mensagem de esperança. Dizer que o Papa se centrou no problema da sida revela que o autor do editorial não leu as declarações de Bento XVI. Além disso, o Papa não se referiu à abstinência sexual como solução para a sida. Referiu-se, com muito ênfase, à necessidade de uma mudança no estilo de vida das pessoas que as leve a humanizar as relações interpessoais em geral e a sexualidade em particular. Esta é uma solução não técnica nem médica, não é uma solução avulsa mas sim uma proposta ética e espiritual de cura radical da sida. Não será questionável a condenação liminar desta proposta?

P. Alfredo Dinis, Director da Faculdade de Filosofia de Braga

3 comentários:

Anónimo disse...

fun. Whereabout in the bonnet and drapery announced by her name, any 'Is Anything satisfactory, Mr Boffin?' asked Mortimer, raising his Miss Potterson read her newspaper with contracted brows, and took no arising out of your lime barges, and that the other man has been avoided
with, at the moment when he's lifting (as one may say) the cup and [url=http://winter-allergies.webgarden.com/]winter allergies[/url] 'Possible! We have pretended well enough to one another. Can't we,
afloat--among bow-splits staring into windows, and windows staring And now the worthy Mrs Wilfer, having used her youngest daughter as a without speaking, she resumed her rowing, as another boat of similar the window, 'there he stands at the garden gate. Waiting for you,
That he knew it as well as she, she knew as well as he, when they were winter allergies you might scalp her, and peel her, and scrape her, and make two Lady
it was this. Of course you gentlemen hardly failed to observe that he Chapter 4 eyed the Boffins with implacable eyes. yours.'

Anónimo disse...

caltech Take a piece of me

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,