30 de maio de 2009

Participação no Congresso sobre Darwin

O Congresso Internacional DARWIN’S IMPACT ON SCIENCE, SOCIETY AND CULTURE. A 21st CENTURY REASSESSMENT organizado pelo Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Faculdade de Filosofia de Braga, da Universidade Católica Portuguesa, pretende, tal como diversas outras manifestações em todo o mundo, assinalar os 200 anos do nascimento de Charles Darwin e os 150 anos da publicação da obra A Origem das Espécies.

Pode dizer-se que, em vários aspectos, a revolução darwiniana continuou a revolução galilaica: ambas parecem ter diminuído perigosamente o irredutível estatuto ontológico do ser humano, o de constituir a espécie mais excelente do universo, para a qual ele foi criado por Deus. Galileu deixou intacta a parte desse estatuto que tem a ver com a estrutura dualista corpo-alma: os seres humanos são a única espécie constituída por um corpo e uma alma espiritual e imortal que lhes assegura a imortalidade. Descartes, um fervoroso apoiante de Galileu, nem por um momento duvidou da existência de uma alma espiritual. Com Darwin, também este aspecto parece ser posto em causa irremediavelmente.

Ao afirmar que os seres humanos, tal como os demais seres vivos, apareceram na terra por um processo evolutivo não planeado, Darwin pôs em causa algumas verdades até então consideradas inabaláveis, tendo provocado mudanças filosóficas, religiosas e culturais profundas.

Muitas das reacções às ideias de Darwin foram violentas, e ainda hoje os adeptos do criacionismo se recusam a interpretar metaforicamente o Livro do Génesis, particularmente os seus primeiros três capítulos que se referem à criação do mundo e da vida. Tanto as Igrejas Cristãs, como muitos dos não crentes adeptos da teoria da evolução, tiveram sérias dificuldades em compreender de que forma o evolucionismo biológico se pode harmonizar com o cristianismo. Teilhard de Chardin e Karl Rahner foram alguns dos teólogos católicos que mais cedo se aperceberam de que esta harmonia existe realmente. Sobre esta questão, intervirá no congresso o teólogo norte-americano John Haught, da Universidade de Georgetown.

Continua aberta a possibilidade de participação dos congressistas em sessões paralelas, através de breves apresentações das suas reflexões sobre qualquer dos temas do congresso.

Informações mais pormenorizadas encontram-se no site www.congressos.facfil.eu