31 de outubro de 2009

Santo Afonso Rodrigues

O que se passou com Afonso Rodriguez, natural de Segóvia – Espanha, comerciante casado e com dois filhos para que aos 38 anos tenha entrado na Companhia de Jesus como Irmão?
Estamos em pleno século XVI e a vida deste homem não corre bem. Em pouco tempo morrem-lhe a mulher e os filhos e os seus negócios entram em quebra. Simultaneamente, com o impacto destes factos, Afonso, dá-se conta da fragilidade da vida e o Senhor concede-lhe a graça de o tocar profundamente. Diz ele, que «este conhecimento próprio era acompanhado do conhecimento de Deus.» Durante três anos, opera-se uma profunda e definitiva transformação.
Em 1571, entra na Companhia de Jesus e é enviado, ainda como Noviço, para o Colégio de Monte Sião, em Palma de Maiorca. Entre outros trabalhos de casa é sobretudo como porteiro que, durante 46 anos, colabora na vida do Colégio.
Nada faria supor que este porteiro simples, humilde e acolhedor tivesse uma vida interior de enorme intimidade com Jesus e Nossa Senhora, como pelos seus apontamentos se veio a descobrir. No entanto, as pessoas viam neste Irmão alguma coisa de muito especial pois acudiam a ele para lhe exporem as suas vidas, os seus projectos e os seus desejos de relação com Deus. Foram muitos os que recorreram à sua ajuda espiritual e, entre todos, sobressai S. Pedro Claver que partindo para a América do Sul, Cartagena na Colômbia, se fez o escravo dos escravos.
A sua espiritualidade é marcada por ser um contemplativo também na acção. Em tudo encontra o amor de Deus, o que o leva a escrever: «Quando tocavam à porta, fazia interiormente actos de alegria, pelo caminho, como se fosse abrir a Deus, e como se Ele tivesse tocado à campainha, ia-Lhe dizendo: “Já vou, Senhor!”».
Afonso Rodriguez morreu aos 84 anos em Palma de Maiorca (Ilhas Baleares) a 31 de Outubro de 1617. Foi canonizado por Leão XIII em 1888.