24 de janeiro de 2010

“Não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa fortaleza.”

Esta semana, as leituras destacam dois aspectos no modo de vivermos a nossa Fé: vivê-la em comunidade e escutar a Sagrada Escritura. Assim acontecia antes do nascimento de Cristo – como escutamos na leitura do Livro de Neemias –, durante a Sua vida – diz-nos o Evangelho – e agora, no tempo em que vivemos, como S. Paulo, o tempo da Ressurreição – somos membros de um só corpo, como diz o Apóstolo aos Coríntios.

A Fé não é particular. Aliás, muitos não encontram sentido em crer em Deus, porque o tentam pelas suas forças, sozinhos. A relação pessoal com Deus é importante, fundamental para alimentar essa Amizade. Mas não pode ser desenraizada da Igreja que Jesus instituiu sobre os Apóstolos, chegou até nós e da qual fazemos parte. Ser Igreja é pertencer-lhe, aceitá-la, senti-la como Corpo que nos une. E a maneira de estarmos unidos é pertencermos a essa comunidade, dando do que temos e somos, sofrendo e alegrando-nos com as dores e alegrias de cada um dos outros membros. Mais ainda: pôr os dons recebidos ao serviço do Corpo e abrir-nos aos dons dos outros.


A Fé não exclui a razão. Antes, o uso da inteligência é necessário para sabermos em Quem acreditamos. Deus sempre Se manifestou ao Seu Povo, que sempre viveu na esperança de ser resgatado. Não de alguma coisa, mas para alguma coisa: a vida eterna, a alegria plena. Neemias, Esdras e os levitas disseram ao povo que celebrasse o dia consagrado ao Senhor, explicavam o sentido do Livro da Lei para esclarecer quem os ouvia. Esta tradição é a do tempo de Jesus e que Ele vive; também foi à sinagoga, leu o Livro e apresentou-Se: é Ele próprio a explicação da passagem do Livro de Isaías. A Revelação está feita no Deus feito homem, Jesus Cristo.


Hoje, estejamos atentos à proclamação da Palavra de Deus, escutemo-la e perguntemos o seu significado. Ouçamos o que a Igreja, pelo Sacerdote, nos diz sobre ela. E voltemos a lê-la, pausadamente, e deixemo-la ecoar nos nossos corações e responder às perguntas que dai possam surgir.


É dia de alegria, acreditar no Senhor é a nossa fortaleza. Isso nos há-de fazer alegres, essa Alegria que não se esgota.


Leituras: : Ne 8, 2-4a. 5-6.8-10 Salmo: 18B (19), 8.9.10.15 (R. Jo 6, 63c) : 1Cor 12, 12-30 Evangelho: Lc1, 1-4; 4, 14-21

imagem: Keith Harring - Pentecostes (pormenor)

1 comentário:

Anónimo disse...

Gostei muito do que li.
Obrigado

Beijinhos
PMP