10 de fevereiro de 2010

De Gijón à Asia


Falamos hoje de dois jesuítas actuais nascidos na mesma cidade (Gijón, nas Astúrias, Espanha) e que têm dedicado a sua vida aos mais necessitados na Ásia.

Enrique Figaredo, SJ, “Kike”, nasceu em Gijón no ano 1959. Após o ensino secundário e vários anos na Universidade, entrou na Companhia de Jesus com 20 anos. Foi enviado a Cambodja em 1985, e logo passou para Tailândia onde trabalhou com refugiados e criou projectos para atender às vítimas das minas anti pessoais semeadas pelo território cambojano. Tudo isto com a ajuda do Jesuit Refugee Service (JRS).

Anos depois, quando os refugiados voltaram para Cambodja, Kike instalou-se em Phnom Penh com o objectivo de ajudar a mais pessoas na reconstrução do país após a partida dos vietnamitas e do governo Khmer. Nos anos 90 fundou Banteay Prieb, uma escola de formação para deficientes físicos. Nessa mesma escola criou uma oficina de fabricação de cadeiras de rodas, actividade a que Kike se dedicou por completo. Visitava as pessoas, distribuía as cadeiras e acompanhava as famílias.

No ano 2000 foi nomeado Prefeito Apostólico de Battambang. Para além dos seus trabalhos pastorais, continua a expandir a obra de fabricação das cadeiras de rodas e a inserção social dos deficientes. Tem recebido vários prémios pela sua tarefa humanitária.

Luís Ruiz, SJ nasceu em Gijón em 1913, e aos 17 anos entrou na Companhia de Jesus. Na altura os jesuítas foram expulsos da Espanha, pelo que continuou a sua formação na Bélgica e em Cuba. Foi enviado à China para estudar Teologia e ordenou-se de padre no ano 1945.

Depois de trabalhar em diferentes partes do país, como Anking e Shanghai, no ano 1951 foi expulso por ordem do governo, como todos os estrangeiros. Chegou a Macau e conseguiu das autoridades licença para abrir uma igreja onde atender aos refugiados chineses. Dedica-se à atenção da população, extremamente pobre.

Em 1969 China declara Macau território chinês, pelo que os refugiados se tornaram automaticamente clandestinos. Todavia, ele continua ali. Abriu já vários lares de idosos e um centro para atender deficientes mentais. Como os que chegam então são refugiados vietnamitas, organiza uma rede de ajuda alimentar para eles.

Aos 25 anos de ser expulso da China, retorna para ajudar às vítimas dum terramoto, e começa a trabalhar com os leprosos da província de Guangdong. Desde o ano 1992 se dedica a construir e visitar leprosarias na China sur-oriental, Yunnan e Sicuani. Desde 2002 encontra-se reformado da direcção da Caritas e dedica-se exclusivamente à atenção dos leprosos chineses.

Facilitamos aqui alguns vídeos sobre eles. (Informamos que os vídeos estão em espanhol.)







1 comentário:

Anjo da Sabedoria disse...

É um prazer conhecer este blog. É lindo trabalho prestado através da web.

Adorei.

Abraço fraterno.
A filosofia dos anjos.