11 de março de 2010

A justiça de Deus está manifestada mediante a fé em Jesus Cristo

mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma de 2010

O Papa Bento XVI escolheu como tema da sua mensagem para a Quaresma a justiça, partindo da afirmação de Paulo aos Romanos: "A justiça de Deus está manifestada mediante a fé em Jesus Cristo (cfr Rom 3, 21-22).
Não podia ser mais actual e, ao mesmo tempo, mais delicado. O nosso conceito de justiça é mais jurídico - dar ou restituir a cada um o que é seu -, encontraremos sempre à nossa volta razões para dizer "não é justo", "não merecia", "se Deus existisse...".
A novidade do cristianismo e que Bento XVI reitera na sua mensagem é simples e desconcertante: Deus existe, é Justo e pagou com a Encarnação e morte do Seu Filho Jesus todas as injustiças do homem.

Pela sua fragilidade, pela sua condição de pecador, o homem pode cometer actos injustos durante a sua vida terrena. ao mesmo tempo, sentir-se amado por Deus, o seu desejo de Bem e de ser bom, impelem o homem para o Outro igual a si.
como viver esta tensão entre o egoísmo próprio da natureza humana e o desejo de comunhão igualmente natural?

É preciso mudar os nossos esquemas de pensar a justiça, de nos relacionarmos. Tem de entrar em nós - para permanecer e assim vivermos - o Amor de Deus, temos de confiar n'Aquele que nos criou e nos chama a criar com Ele. Só um coração que se abre ao Amor está disponível para amar.
Assim, o homem viverá movido pelo seu coração aceso por esse Amor, assumindo a posição de servo junto do seu irmão, vivendo dando tudo o que é gratuitamente e agradecendo o que recebe generosamente. Este é o verdadeiro descentramento de si, a justiça divina tornada humana, o mistério da Fé: quando medimos com os limites da nossa fé desmedida em Jesus Cristo. E esta justiça é graça recebida, porque já deixámos que invadisse o nosso coração. Nada é meu e faço tudo ser para o Outro - aquele que está já aqui, no meu dia-a-dia. Jesus não condenou a samaritana, nem a mulher adúltera, nem Zaqueu, nem Mateus. Antes, deu-lhes o que nem eles ousaram pedir: a salvação. E foi a sua fé que os salvou, o sentirem-se amados, acolhidos e queridos.

Isto exige de nós uma conversão de coração, a que nos é pedida sempre e proposta especialmente nestes quarenta dias até à Páscoa, essa Passagem para a Vida plena. Só vivendo esta conversão, só vivendo com este coração novo podemos mudar o mundo e torná-lo justo. Se cada um se converter e mudar os pequenos mundos onde vive e se movimenta, se cada um encher esses mundos com a graça recebida da fé em Jesus Cristo, transformaremos o conceito de justiça, tirando-o dos manuais jurídicos para a prática da vida. A lei da justiça é o mandamento novo, a lei do Amor.

Deus, pelo Seu Filho, já nos mostrou que podemos ser capazes. Que falta fazermos para o sermos plenamente?

Sem comentários: