4 de Junho de 2010

Sete argumentos contra a moralidade da adopção por homossexuais - Parte 1 (1/4)

Este post foi alterado às 19h00, e às 20h30 do dia 4/6/2010*

Eu, o autor, não concordo com nenhum destes argumentos apresentados.*

Esta é a primeira parte de um trabalho longo sobre a moralidade da adopção por homossexuais, que vai ser sintetizado e adaptado, em quatro partes, a ordem de apresentação não segue a do trabalho principal, mas uma ordem que eu pensei ser mais fácil de ser acompanhada e compreendida. Para isso, preferi expor neste primeiro post os argumentos dos que são contra a adopção por casais homossexuais.

Numa segunda parte irei expor a contra-argumentação que é feita, pelos defensores da adopção, a estes sete argumentos.

Numa terceira parte irei expor os argumentos favoráveis à adopção por homossexuais.

E numa quarta parte, que ainda não estipulei se em um ou dois posts, será feita uma análise crítica, a todos os argumentos apresentados.

(1) As crianças crescerão com a ausência ou de uma figura masculina, ou de uma figura feminina, o que será prejudicial para o seu desenvolvimento; (Eu, o autor, não concordo)

(2) As crianças adoptadas incorrerão numa maior probabilidade de se tornarem homossexuais; (Eu, o autor, não concordo)

(3) Os homossexuais não possuem nem estabilidade, nem maturidade, tanto ao nível emocional como psicológico, para educarem uma criança; (Eu, o autor, não concordo)

(4) As crianças criadas por casais homossexuais estarão mais susceptíveis a ficarem traumatizadas por comportamentos obscenos; (Eu, o autor, não concordo)

(5) As crianças adoptadas por homossexuais correrão maiores riscos de serem vítimas de abuso sexual; (Eu, o autor, não concordo)

(6) As crianças adoptadas por homossexuais terão maiores dificuldades na adaptação social, por causa do estigma que sofrerão, por serem criadas por homossexuais; (Eu, o autor, não concordo)

(7) As crianças educadas por homossexuais sofrem atrasos no seu desenvolvimento psicológico, e cognitivo. (Eu, o autor, não concordo)




* Quero clarificar, que até ao 9º Comentário (cerca das 19h00, do dia 4/6/2010) , este post permanecia incompleto. Também quero clarificar que os comentadores apenas visualizaram um título que dizia apenas: Sete Argumentos contra a moralidade da adopção. Além de que o post não apresentava nenhuma introdução ao que eu pretendia fazer.

*Devo também acrescentar que fiz uma nova alteração do post às 20h30 do dia 4/6/2010, com o objectivo de melhorar a introdução, e clarificar as minhas intenções. Também coloquei esta nota informativa, assim como a data e a hora das modificações do post, para que ficasse bem claro que as diferentes versões que os comentadores encontraram, e para que as pessoas que forem no presente ler os seus comentários percebam a falta de informação, que os mesmos comentadores encontraram.
Agradeço as sugestões do Jeremias, o Fora-da-Lei.

*Para deixar clara a minha posição, eu o autor, não concordo com nenhum destes argumentos.

28 comentários:

Anónimo disse...

Os argumentos (2) (3) (4) (5) (7) carecem de provas.

Dizer as coisas é simples, mas justifica-las...

Anónimo disse...

Respondo como anónimo, não vá o Diabo tecê-las. Pelo facto peço desculpa, mas é difícil defender certas ideias num país atávico e dominado por um pensamento moralista e retrógrado.

(1) As crianças crescerão com a ausência ou de uma figura masculina, ou de uma figura feminina, o que será prejudicial para o seu desenvolvimento;

Tolice. São inúmeras as crianças que crescem sem pai ou sem mãe, por falecimento ou outras circunstâncias (migração, divórcio, etc.). Defender isto implica que, caso um dos membros do casal emigre, morra ou em caso de divórcio as crianças deverão ser entregues a orfanatos para aí (?) ter modelos parentais.

(2) As crianças adoptadas incorrerão numa maior probabilidade de se tornarem homossexuais;

Há estudos estatísticos sobre isso. O professor Júlio Machado Vaz poderia indicar a quem pertencem tais estudos (http://murcon.blogspot.com ). É falso: não há maior incidência de homossexualidade entre as crianças que cresceram com um casal homossexual.

(3) Os homossexuais não possuem nem estabilidade, nem maturidade, tanto ao nível emocional como psicológico, para educarem uma criança;

Pode ser dito o mesmo de um padre? Por que razão não possuem essa estabilidade? E os casais que se agridem mutuamente, possuem essa estabilidade? Este argumento é tolo e infantil.


(4) As crianças criadas por casais homossexuais estarão mais susceptíveis a ficarem traumatizadas por comportamentos obscenos;

Obsceno é um pai heterossexual masturbar-se duiariamente na mesa de refeição - EB2,3 de Castelôes de Cepêda, Paredes, 1998. Por que razão se pode afirmar que a obscenidade é mais recorrente entre homossexuais?

(5) As crianças adoptadas por homossexuais correrão maiores riscos de serem vítimas de abuso sexual;

Porquê? Os predadores sexuais preferem filhos de homossexuais? Em que dados se fundamenta para afirmar isto?

(6) As crianças adoptadas por homossexuais terão maiores dificuldades na adaptação social, por causa do estigma que sofrerão, por serem criadas por homossexuais;

Verdade. E no entanto, é preferível essa estigmatização ou a de ser orfão durante toda a vida?

(7) As crianças educadas por homossexuais sofrem atrasos no seu desenvolvimento psicológico, e cognitivo.

Não merece resposta.

Como já foi dito,todos os argumentos excepto 1 e 6 carecem de fundamento. Pelo contrário, os estudos existentes demonstram que não passam de convicções de senso comum.

Prefiro que uma criança seja adoptada por casais homossexuais do que viver toda a vida numa instituição, abandonada, sem amor e carinho; sítios onde a roupa é comunitária, os brinquedos são comunitários e a privacidade é um gambozino.

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

Caro Ricardo,

Por favor, e para teu próprio bem, reza sem qualquer demora um terço completo e redime-te genuinamente do pecado que foi a publicação deste post. Reflecte com atenção sobre cada um dos pontos que escreveste, debruçando-te não só nos detalhes daquilo que ali dizes como, e principalmente, nas razões que te o levaram a fazer. Acima de tudo, como faz qualquer bom católico, questiona-te sobre o mundo e sobre a vida e, em particular, sobre as certezas da tua fé nas sete frases escritas. Os pecados capitais são sete; sete são também as frases que escreveste. A mera concordância entre o número de pecados capitais que existem e o número de frases que escreveste parece apontar, sem carência de qualquer outra justificação mais profunda, que cada tua frase foi, tal como, aliás, a maior parte dos pecados, não só totalmente irreflectida, como passível de provocar a ira divina.

Uma forma que te sugiro de repensares o teu acto de publicação deste post é analisares cada uma das frases com atenção. Lê cada uma delas e reflecte interiormente sobre o seu significado. Depois, numa busca insaciável, até mesmo filosófica, da verdade, tenta encontrar justificações para a sua veracidade. Consulta artigos científicos, possivelmente médicos ou de psicologia, procura estudos onde se teste como hipótese aquilo que aqui apresentas como a verdade. Elimina as tuas convicções, por momentos partindo do nada, e tenta construir as frases que afirmas verdadeiras passo a passo, sem que duvides de qualquer um desses pequenos passos. Se fazes parte de um blog intitulado "Companhia dos Filósofos", tenho a certeza que não terás dificuldade nenhuma em abarcar o processo que aqui descrevo. Não te fiques por abarcá-lo, põe-no em prática. Se ao fazê-lo, descobrires justificação para as frases que proclamaste, adiciona-as a este blog, para que todos possamos ver mais longe e possivelmente aceitar estes argumentos como verdadeiros. Mas, se nesse processo não conseguires encontrar nenhuma justificação para estes argumentos para além da tua arbitrária convicção, age como uma pessoa boa, misericordiosa e honesta intelectualmente agiria e retira este post ou acrescenta-lhe uma nota dizendo que estes são argumentos que podem ser usados mas para os quais tu não encontras justificação.

(cont. 1)

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

(cont. 1)

Posto este intróito, vou passar agora à análise detalhada dos teus argumentos. Pensa nisto como um exercício racional da lógica e não como uma guerra de valores.

"(1) As crianças crescerão com a ausência ou de uma figura masculina, ou de uma figura feminina, o que será prejudicial para o seu desenvolvimento;"

A ausência de figura masculina é prejudicial ao desenvolvimento? Será preferível a presença de uma figura masculina que nos espanca diariamente? Ou será preferível um pai no papel mas que é completamente ausente e nem sequer sabe quando temos teste na escola?

"(2) As crianças adoptadas incorrerão numa maior probabilidade de se tornarem homossexuais;"

Para concluir isto, deves fazer uma experiência com dois grupos de pessoas. Num grupo, tens heterossexuais. No outro, homossexuais. Em ambos os grupos escolhes um número grande de casais e fazes testes psicológicos às crianças adoptadas por cada casal para aferir da sua orientação sexual. Defines a hipótese nula de que o número de crianças homossexuais adoptadas por pais homossexuais é maior do que o de crianças homossexuais adoptadas por pais heterossexuais. Escolhes uma distribuição de probabilidade adequada a este teste, neste caso a distribuição t-student é provavelmente apropriada, e calculas o grau de confiança do teu teste. Se o teste estatístico tiver grau de confiança suficiente, podes tirar a tua conclusão. Se não, não podes concluir nada.

De qualquer forma, e como sei que é difícil fazer esta experiência na prática, gostava que pensasses comigo nesta tua ideia de que a probabilidade das crianças criadas por homossexuais ser maior. Estima-se que 5% da população mundial seja homossexual. Não tenho o número exacto, nem provavelmente alguém o sabe exactamente, mas andará perto disso. Dado que quase todas as crianças homossexuais foram criadas por casais heterossexuais (pelo menos aos olhos da criança), não será desrazoável concluir que a probabilidade de uma criança ser homossexual quando criada por um casal heterossexual seja perto de 5%. As perguntas que te coloco são:

1. Se dizes que a probabilidade das crianças adoptadas por homossexuais se tornarem homossexuais é maior que estes 5%, e dado que a probabilidade varia entre 0 e 100%, qual é a tua estimativa para essa probabilidade? 7%? 20%? 90%? Esta resposta ajuda a quantificar a tua percepção da gravidade do problema.
2. Mesmo que não aceites a adopção por homossexuais, não vais conseguir eliminar estes 5% de probabilidade. Que pretendes fazer quanto a estes 5%? Achas que devemos tratar os homossexuais para que possamos resolver este problema?

(cont. 2)

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

(cont. 2)

"(3) Os homossexuais não possuem nem estabilidade, nem maturidade, tanto ao nível emocional como psicológico, para educarem uma criança;"

Há muita gente que não tem estabilidade nem maturidade emocional ou psicológica para educar uma criança. Achas que devem poder adoptar só porque são heterossexuais? Não seria mais simples essa avaliação ser feita directamente pela instituição que gere o processo de adopção: "se não tem estabilidade nem maturidade para educar uma criança, então não pode adoptar". É um critério simples e que provavelmente já está na lista de critérios que estas instituições têm que considerar. Se acreditas tão fortemente que os homossexuais não possuem essa estabilidade e maturidade, tenho a certeza que não te importarás de deixar que os casais homossexuais sigam um processo de adopção idêntico ao dos casais heterossexuais, já que, segundo as tuas convicções, eles vão chumbar neste critério e nunca adoptarão.

"(4) As crianças criadas por casais homossexuais estarão mais susceptíveis a ficarem traumatizadas por comportamentos obscenos;"

Não sei se percebo completamente o que estás a dizer. O que é que têm os casais homossexuais, exactamente, que possa traumatizar as suas crianças com comportamentos obscenos? Achas que eles iriam ter relações sexuais à frente da criança ou envolvendo-a a ela? Achas que eles consumiriam demasiado material pornográfico a que a criança poderia ser exposta? Achas que eles trariam vários amigos para casa e faria todos sexo em grupo? Gostava que me explicasses o que é exactamente que achas que pode traumatizar as crianças adoptadas por homossexuais para tornar mais fácil e concreta a discussão.

"(5) As crianças adoptadas por homossexuais correrão maiores riscos de serem vítimas de abuso sexual;"

Nunca imaginei que os abusadores sexuais perguntarem primeiro a uma criança se ela foi adoptada por pais homossexuais. Por que é a única maneira que estou a ver para alguém, só por ser adoptada por homossexuais, ter mais risco de ser vítima de abuso sexual. Ou estarás tu a dizer que os pais homossexuais são mais propensos a abusar dos seus filhos? É que se, for isso, e dado que não há informação estatística em Portugal sobre crianças adoptadas por homossexuais (porque não há adopção homossexual), apenas posso concluir que o que estás a dizer é que os homossexuais têm mais propensão para praticar pedofilia em geral. É isso? Se for, por favor confirma que é isso, para ficar mais claro aquilo que estás a dizer. Se for de facto isso, achas então que os homossexuais que pretendem adoptar apenas o querem fazer para ter mais um parceiro sexual e, desta vez, uma criança que possa satisfazer o seu apetite pedófilo?

(cont. 3)

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

(cont. 3)

"(6) As crianças adoptadas por homossexuais terão maiores dificuldades na adaptação social, por causa do estigma que sofrerão, por serem criadas por homossexuais;"

Pela minha parte, tal como está escrito na constituição portuguesa, tentarei não discriminar crianças por serem filhos de heterossexuais ou homossexuais. Mas, de facto, percebo que essas crianças sentirão muitas dificuldades na adaptação social, principalmente dada a existência, por exemplo, de pessoas como tu. Essas serão certamente as que lhes trarão mais dificuldades por as discriminarem profundamente.

"(7) As crianças educadas por homossexuais sofrem atrasos no seu desenvolvimento psicológico, e cognitivo."

Quantas crianças é que foram educadas por homossexuais em Portugal? Nenhuma. Não existe adopção homossexual em Portugal. Aliás, em rigor, há crianças educadas por homossexuais. Aquelas que foram educadas por homossexuais que escondem a sua orientação sexual para não serem discriminados e vivem uma vida heterossexual. É dessas crianças que falas? Sentes que este é o motivo para o fraco desenvolvimento psicológico e cognitivo de algumas crianças? Não deveríamos então proibir os homossexuais de educar crianças, por completo, mesmo que vivessem uma vida heterossexual com uma mulher? Nesse caso, não seria então razoável massificar um "teste da homossexualidade" nas escolas para decidir quem são os homossexuais e nessa altura estabelecer de forma vitalícia a sua proibição de educar crianças, mesmo as crianças concebidas por eles próprios com uma mulher?

(cont. 4)

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

(cont. 4)

Por fim faço-te uma pergunta que não pretende de forma alguma ser impertinente. É apenas algo que me preocupou por ser eu alguém empenhado na aplicação correcta da Matemática e, em particular, da Estatística. Ricardo, serás tu homossexual? Faço esta questão porque a certeza absoluta do que aconteceria a uma criança adoptada por um casal homossexual poderá resultar de uma projecção da tua incapacidade para educar crianças em todas as pessoas iguais a ti. Possivelmente sentes que a educação que darias em conjunto com outro homem a uma criança traumatizaria essa criança com comportamentos obscenos e por isso pensas que isso acontece com todos os homossexuais. No entanto, se for de facto esse o caso, devo fazer-te notar que não é estatisticamente correcto transpor as tuas características para todas as pessoas que partilhem essa tua orientação sexual porque 1 não é um número estatisticamente significativo face ao número de homossexuais que existem. Seria mais errado até do que chamar de assassinos todos os militantes do PSD, depois de descobrir que alguém filiado nesse partido matou um ser humano. Portanto, se for esse o caso, que te sirva de consolo saber que nem todos os homossexuais são como tu. Se não for esse o caso, ignora este parágrafo.

Saudações,
Jeremias, o Fora-da-Lei.

Joana Moreira disse...

Estas afirmações são muito tristes, revelam uma grande falta de pensamento crítico. Assusta-me pensar que quem as faz tem poder para passar esta mensagem, nomeadamente a crianças, que ainda não têm as ferramentas de pensamento apropriadas para perceberem os erros desta argumentação.

Certamente, o Ricardo desconhece casais homossexuais. Mais vale não se falar do que não se conhece.

Ricardo disse...

Esta é a primeira parte, a segunda será a contra-argumentação a todos esses argumentos. A terceira parte será a apresentação dos argumentos a favor da adopção por homossexuais. E a quarta parte será uma análise critica a todos os argumentos.

Saudações Cordiais

Jeremias, o Fora-da-Lei disse...

Caro Ricardo,

Uma regra básica de honestidade intelectual quando se tem um blog aberto a comentários é não alterar os posts ou, no caso de o fazer, acrescentar uma nota a detalhar as alterações feitas. É fácil compreender que quem lê o blog, assuma que os comentários a uma entrada de blog sejam comentários à entrada que se lê nesse momento. Os comentários que escrevi foram a um post com um texto diferente e com um título diferente daquele que agora está online. Isso não permite aos leitores fazerem um julgamento informado daquilo que está a ser discutido.

Para que agora um leitor possa perceber a razão dos meus comentários anteriores, vou deixar aqui registado para quem quiser ler que o post inicial do Ricardo tinha o título "Sete argumentos contra a moralidade da adopção por homossexuais" e continha apenas uma enumeração dos 7 argumentos que ainda se podem ler no post. Não era feita qualquer menção à sua integração num trabalho sobre moralidade em que se iam apresentar os lados do problema nem era sugerido que iam ser feitos mais dois posts.

"Esta é a primeira parte de um trabalho longo sobre a moralidade da adopção por homossexuais. A segunda parte será a contra-argumentação a todos estes 7 argumentos. A terceira parte será a apresentação dos argumentos a favor da adopção por homossexuais. E a quarta parte será uma análise critica a todos os argumentos."

Gostaria, no novo contexto de 4 partes, de fazer notar que não há qualquer simetria na divisão proposta:

1. argumentos contra a adopção
2. contra-argumentação a 1
3. argumentos a favor da adopção
4. análise crítica de todos os argumentos.

Primeiro, os argumentos contra. Depois, a contra-argumentação. Depois, os argumentos a favor (e a contra-argumentação?) e finalmente uma análise crítica de tudo. Se vais fazer um "trabalho longo" sobre a moralidade da adopção por homossexuais, sugiro-te que comeces por ter uma estrutura que trate os dois lados de forma simétrica.

Saudações,
Jeremias, o Fora-da-Lei.

Ricardo disse...

Caro Jeremias

Obrigado pelas suas sugestões,

Saudações Cordiais

Anónimo disse...

Caro Ricardo, fazemos um concurso de argumentos sacados da manga sem qualquer sustentação científica? Eu contraponho com um post generalizando sobre padres católicos pedófilos, que tal lhe parece? Injusto? De baixo nível? Também me parece. É o que fez neste post. A diferença é que eu já vi vários padres católicos na vida, e sei que não são todos pedófilos (e mesmo que não tivesse visto, quem sou eu para dizer que são isto e aquilo?). O senhor, claramente, nunca viu ou conhece um homossexual (ou isso acha), senão não escrevia o que escreveu, com a falta de respeito com que escreveu. Devia ter vergonha de se dizer católico, escrevendo um post com tamanho preconceito e ignorância, que poria até Cristo a chorar de vergonha.

Jaime disse...

(1) A parte «o que será prejudicial para o seu desenvolvimento» requer prova.

(2) Requer prova. Mas mesmo que seja verdade, não vejo qual é o problema de as crianças tornarem-se homossexuais.

(3) Requer prova.

(4),(5) Parece insinuar que os casais homossexuais são mais propícios a comportamentos obscenos e abusos sexuais. Requer prova.

(6) Se as crianças adoptadas por casais homossexuais forem estigmatizadas, a culpa será de pessoas como tu.

(7) Requer prova.

RJ disse...

Caro Ricardo,

(1)O que dizer das crianças filhas de "mãe solteira" ou pai/mãe viúvo que não voltem a viver com alguém do sexo oposto?

(2)Neste campo a homossexualidade está implícita como algo mau, quase criminoso. Convém explicar porquê.

(3)Qual a taxa de heterossexuais que possuem?

(4)O comportamento dito "obsceno" é exclusivo das relações homossexuais? A discrição e bom senso de quem educa não é algo a ter em conta ou vão passar a vida a acompanhar as orgias dos pais?

(5)O mesmo se aplicará aos padres. Criminosos e violadores há em todo o lado e quase sempre aparecem de onde menos se espera, família e vizinhos.

(6)O problema está na sociedade em si e não nos casais. E estigmas há em muito boas famílias, basta serem extremamente rígidos, negligentes ou superprotectores.

(7)Há dados que suportem isto? Qual é a escolaridade média e nível cultural dos casais homossexuais? Quais os recursos disponíveis para as crianças se desenvolverem? Não haverá aí também um factor genético?

Cumprimentos

Ricardo disse...

Caro RJ,

Trata-se de uma exposição de argumentos que são apresentados pelos opositores da adopção por homossexuais, convido-o a ler a contra-argumentação a estes argumentos no post que já publiquei.

Saudações Cordiais,

Ricardo disse...

Caro RJ

Aqui deixo o link da contra-argumentação a estes argumentos: http://companhiadosfilosofos.blogspot.com/2010/06/sete-contra-argumentos-contra.html

Eu próprio não concordo, nem encontrei fundamento empírico válido, nestes argumentos contra a adopção por casais homossexuais.

Saudações Cordiais

Anónimo disse...

será q vcs naum tem o q fazer???
aff...

Anónimo disse...

Ricardo,sério mesmo, achei uma coisa dessa absurda, sou homossexual e não acho nada de mais,uma criança ser adotada por um casal homossexual... Ainda, irei casar e irei sim adotar uma criança, afinal a lei já foi aprovada... por que não? Não quero que meu filho ou filha seja homossexual, isso já mais, irei ensinar o que é certo e o que é errado. Mas se caso optar por ser o que eu irei fazer? Irei ama-lá ou ama-lo do mesmo jeito. Agora irei lhe dizer uma coisa, tome muito cuidado com o que você fala, olha que as palavras tem poder. Abração!!!

Anónimo disse...

Caro Ricardo' ..
achei teu blog otimo, pois voc~e mostrou os dois lado das coiisas, se tem gente qe acha qe isso é errado eu tambem acho, mas devemos de qualquer modo pensar qe tem gente qe acha isso uma pura verdade' sabe o Ricardo somente mostrou os dois lados da moeda, qerendo ou não isso existe, está discriminação existe, não devemos "tampar o sol com a penenira" estas pessoas qe pensam assim são inutens e não tem oque fazer, mas como o próprio Ricardo falo (eu autor, não concordo) .. sabe é uma realidade no brasil e no Mundo, existe sim pessoas mesquinhas qe acham qe realmente as crianças vão ser assim como diz os argumentos do seu blog Ricardo. tenho um trabalho da escola qe vai ser um discurso' tema: discriminação e exclusão social. um grupoo é a favor e outro contra, pois é eu soh do grupo a favor vou ter qe mudar meus pensamentos, vou ter qe entrar numa briga dizendo qe eu acho certo qe exista discriminação e exclusão social. Obrigado atensiosamente anonimo. ;DDDD

Anónimo disse...

Convido a assinar a petição pela legislação da parentalidade por casais do mesmo sexo:

http://www.avaaz.org/po/petition/Legislacao_da_Parentalidade_por_Casais_do_Mesmo_Sexo_em_Portugal/?fMitKbb&pv=9

Anónimo disse...

sou completamente a favor da adoção para casais homossexuais, desde já quero dizer que convivo bastante com pessoas que tem essa tendencia sexual e sao pessoas perfeitamente normais, felizes, muito mais afetivas e com uma mente bastante aberta! nao nos podemos apenas basear em estudos, tambem temos de nos por no lugar dessas mesmas pessoas! em primeiro lugar 50% dos casais heterossexuais têm uma gravidez acidental, enquanto que nos casais homossexuais eles sao muito mais motivados e compremetidos pelo simples facto que escolhem adotar! segundo, 100 mil crianças atualmente estao a viver com pais adotivos homossexuais nos EUA, que apresentam uma diferenca quase nula de aprendizagem, saude, funcionalidade social e outras medidas. Essas crincas podem ter uma vantagem de possuir uma mente mais aberta, tolerante e modelos de comportamento para relações igualitárias, o que será muito bom para o nosso futuro, e ainda, casais homossexuais têm tendencia para adotar criancas com idades entre os seis e dez anos, necessidades especiais ou raças diferentes, o que é muito importante já que as crianças que sao minorias tem tendencia de manter no sitema de adoção! quando nos pensamos nas milhoes de criancas que podem ser adotas, de sair so sistema instavél da adoção, de ter um lar, de ter direito a uma familia, a comida, a amor, carinho, a educação, a ter um futuro melhor, a chegar a casa e ter alguem a perguntar.lhe como correu o dia dela, é realmente muito importante e acredito que muitas criancas nao se importavam de ser adotadas por um casal homossexual desde que tivesse condições e sobretudo amor e apoio! se as crianças forem discriminadas isso so mostra a educação que os filhos, de casais heterossexuais, têm em casa! os gays existem e sempre existeram! se acham que que por serem filhos de casais homossexuais que vao tambem ter sempre essa tendencia sexual estão mto enganados, tudo tem haver com a educação que têm e o ambiente em que se encontram, e para além disso, inumeras pessoas que tem tendencia sexual para o mesmo lado e que sao filhos de casais heterossexuais, aliás, tudo começõu por ai! é por isto e nao so que o nosso mundo anda em guerra! dizeem que há direitos mas nao os vemos, dizem que ha respeito mas nao existe, porque muita gente tem preconceitos! as pessoas nao tem culpa da educação que tem, nem da cor de pele, nem da cultura, nem da educação, ~por isso o primeiro passo para uma vida em harmonia e respeito é a aceitçaõ das pessoas tal como elas sao!

obrigada, e espero que tenham ficado com outra perspetiva da vida.

para um mundo melhor

Anónimo disse...

OIE

Anónimo disse...

VAI TOMA NO CU GERAL , SOU GAY IDAI?

Anónimo disse...

CH - Eu sou contra a adoção de menores por casais homoafetivo pelo seguinte motivo:
1-A maioria dos casais homo ou heter adota crianças de meses ou com menos de 5 anos.
1.1-As crianças dessa faixa etária, são facilmente influenciáveis, e se os pais se tiverem a beijar a frente delas elas iram imitar com crianças do mesmo sexo que elas, e se os pais homo corrigirem esse comportamento estarão a ir contra a sua natureza e ai as crianças iram perceber que seus pais não são como a maior parte da sociedade e com o passar dos anos ira ser descriminada, terá conflitos mentais e terão dificuldades em perceber sua orientação sexual ou seja possivelmente(possivelmente)serão homo.
2-Os casos de abusos a menores poderão ser facilmente omitidos, pois possivelmente(possivelmente) serão os pais a abusar e se isso acontecer causara um sofrimento de tal forma grande, que aquele ser humano nunca ira esquecer e mais valeria não ter carinho e estar no orfanato do que levar no rabo 18 ou mais anos.
3-O aumento dos casais homo ira causar a extinção da raça humana, os casais homo deixaram de poder adotar, pois os casais heter deixaram de ter filhos, pois a tendência atual é de diminuição da natalidade a nível mundial.
O 3 é um facto e os factos estão acima de estudos ou possíveis argumentos.

João Henrique Pereira disse...

Você diz a um brasileiro que o sol emite calor para terra e não o contrário e ele diz: "não concordo." Então você precisa dizer a ele: "eu não tô pedindo tua opinião seu burro, estou apresentando fatos!"

Inês, Estudante disse...

Encontrei este post, por meio de uma pesquisa feita para a realização de um trabalho, que se baseia em apresentar argumentos CONTRA a adoção por parte de casais homossexuais. Lendo os comentários, li as opiniões (pois gosto sempre de ouvir, neste caso ler, opiniões de terceiros, porque posso até mudar de ideias face a este assunto. Porém, não mudei. E penso que o Ricardo, autor deste post, quer seja contra ou a favor, não pode mudar a sua posição, apenas pela opinião alheia. Apenas tem de clarificar a sua opinião o melhor que pode.

1º O modelo familia, mãe-pai, não é uma questão tradicional. É uma questão de natureza. A mulher representa a mãe, é a imagem maternal, feminina. O homem o pai, a imagem paternal, masculina. Quem quiser contra-argumentar contra este facto, perde o seu tempo. Uma mulher é uma mulher, um homem é um homem, e contra isso ninguém pode ir, ambos são importantes para a educação de uma criança, e têm, não digo funções, mas papéis diferentes um do outro. Li algures aqui que as crianças vão buscar o papel maternal/paternal, a uma tia/o, madrinha/padrinho, amiga/o: RIDÍCULO, pois só sustentam ainda mais a minha opinião de que é preciso um homem e uma mulher para educar uma criança de forma saudável e sólida.
Cada um tem a sua opinião, mas não queiram tratar o que é diferente de forma igual! Sou completamente a favor do casamento homossexual, tenho amigos homossexuais, e são tão boas ou melhores pessoas como os hetero, aliás, não há relação. O casamento é o acordo entre duas pessoas, cada um faz o que quer! Agora a adoção envolve terceiros, terceiros esses que são crianças, não se esqueçam! Querem tantos direitos para os homossexuais que se esquecem dos direitos das crianças, que acabam por ficar mais em risco no meio disto tudo!

Alexandra Lemos disse...

Muito bom dia! Estou a realizar um trabalho acerca da co-adopção por casais do mesmo sexo, e as suas duas primeiras publicações são ótimas para o desenvolvimento do meu trabalho. No entanto, necessito das restantes duas (dado que este tema está divido em 4 partes).
Acha que me pode fornecer os link das partes 3 e 4, assim que lhe fosse possível?
Um muito obrigada, fico a aguardar por uma resposta!

Alexandra Lemos disse...

Muito bom dia! Estou a realizar um trabalho acerca da co-adopção por casais do mesmo sexo, e as suas duas primeiras publicações são ótimas para o desenvolvimento do meu trabalho. No entanto, necessito das restantes duas (dado que este tema está divido em 4 partes).
Acha que me pode fornecer os link das partes 3 e 4, assim que lhe fosse possível?
Um muito obrigada, fico a aguardar por uma resposta!