27 de setembro de 2010

A Fórmula do Instituto









"Procure ter sempre diante dos olhos primeiramente a Deus
e depois a regra deste seu Instituto,
que é um caminho determinado para ir até Ele".






Este é um fragmento da Fórmula do Instituto que decidi destacar na memória que hoje é celebrada da aprovação e confirmação da Companhia de Jesus. Esta Fórmula, na sua versão completa, é o documento apresentado pela Companhia à Igreja e ao Senhor, na pessoa do Santo Padre, como auto-retrato que é um desejo, uma autobiografia que é a profecia deste corpo a nascer. A História será abundante em testemunhos de homens que deram a sua vida por este olhar e por este caminho. Mesmo muitos terão dado esse testemunho ao ponto do seu sangue cair na terra como semente de cristãos.

A experiência dos primeiros companheiros, encabeçados por Inácio, levou a este desejo, formulou as palavras que compõem o texto integral e as Constituições que delinearão a vida de um jesuíta. É a forma que está descrita na Fórmula, a forma de um olhar que deseja ter sempre diante primeiramente a Deus. Contemplativo na acção – tendo diante dos olhos primeiramente a Deus, é a salvação dos homens e mulheres que contempla e o impulsiona em direcção ao próximo cheio de fé, esperança e amor. Consta na Fórmula um elenco de campos de acção, os quais visam “principalmente a consolação espiritual dos fiéis”: comunicar-lhes, quer pelo anúncio da fé, quer pela promoção da justiça, o tesouro da sua experiência de Deus. Os Exercícios Espirituais serão o modo mais caracteristicamente inaciano de partilhar essa experiência.

A memória de hoje é a memória desse caminho determinado para ir a Deus e regressar aos irmãos cheio de fogo do Espírito. Um caminho percorrido por tantos homens e por meio do qual abriram aos homens e mulheres que encontraram ainda outros caminhos a percorrer, nascidos da espiritualidade inaciana.

Valeu a pena? É uma pergunta a colocar num tempo em que a mesma recai sobre a própria Igreja. Este é apenas um texto de um blogue. O crédito que as minhas palavras podem dar à Companhia de Jesus e à Igreja é depressa contraposto pelo descrédito de outras. Não quero deixar hoje um texto aqui que pareça ser superficialmente lisonjeiro e uma omissão dos aspectos menos atraentes. Um jesuíta só pode falar deste modo do Corpo a que é chamado na consciência de que vivem, ele e a Companhia, uma fragilidade salva pelo olhar de Deus. Ao “ter sempre diante dos olhos primeiramente a Deus”, é isso que descobre, um olhar que o olhou primeiro, mesmo na sua fragilidade. É esse olhar que o transforma, dando-lhe a forma da experiência dos primeiros companheiros, a forma da Companhia de Jesus. A história da Companhia é uma história de luzes e sombras, de matizes – os mesmos da vida humana. E as luzes são maiores que as sombras; o bem realizado, movido pelo Senhor no coração destes homens, é bem maior que todos os tropeços no caminho. É isso que nos diz que valeu e vale a pena – não se trata de uma história de homens impecáveis, mas a história de um grupo de homens que atravessa os séculos transformado pelo olhar de Deus, cheios do desejo de O dar a conhecer. O que celebramos hoje, mais do que os homens, é o olhar de Deus.

1 comentário:

Sinais no Mundo... disse...

Santa Teresinha do Menino Jesus, O.C.D.- Festa Litúrgica a 1 de Outubro;

-Doutora da Igreja;

-Nascimento 2 de Janeiro de 1873 em Alençon, Baixa-Normandia
França;

-Falecimento 30 de Setembro de 1897 em Lisieux, Baixa-Normandia
França;

-Veneração por Igreja Católica
Canonização 17 de Maio de 1925, Roma por: Papa Pio XI;

-Festa litúrgica 1 de outubro
Atribuições Rosas, História de Uma Alma;
-Padroeira Missionários católicos, Rússia

Preparemo-nos para vivermos esse Dia com Ela em profunda intimidade.