14 de dezembro de 2010

Missa Rorate


Esta 4a feira, dia 14, às 19.15h, terá lugar no CAB (Centro Académico de Braga) uma Missa especial de acolhimento do Natal. 

É uma missa inspirada numa tradição antiga de Advento, que se chama Missa Rorate. O nome vem de uma antífona em latim do Advento, retirada do livro de Isaías (Is 45, 8): "Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum", que significa: "Derramai ó céus, o orvalho lá do alto e as nuvens chovam o Justo". Portanto, o tema principal desta celebração é entrar dentro do grande mistério da Encarnação, em que, da eternidade de Deus, Jesus assume a natureza humana. A Igreja faz esta belíssima oração de pedir que o céu se abra e chova sobre nós e sobre o mundo a graça da pessoa de Jesus, Deus feito homem.

A Missa Rorate tem a sua origem no século XV, sobretudo nos países alpinos, onde ainda hoje se mantém esta tradição. Inicialmente, era uma missa votiva em honra de Nossa Senhora, e era celebrada nos sábados do Advento. Com a reforma do Concilio Vaticano II, aconselha-se a que não se celebrem missas votivas durante o tempo do Advento, especialmente depois do dia 16 de Dezembro, altura em que a proximidade do Natal exige uma maior concentração, mesmo a nível litúrgico, nos mistérios que se estão para celebrar. Contudo, por razões pastorais e para ajudar as pessoas a viver o Advento com outra intensidade, esta Missa pode ser celebrada com muito proveito.

A principal característica da Missa, para além deste tema fundamental da oração pela vinda de Jesus, é também que esta é celebrada de manhã, ainda de noite, e à luz das velas, como sinal da Igreja e da humanidade que espera a vinda de Jesus, sol nascente. Nos países da Europa central, onde ainda hoje se celebra, as pessoas fazem em casa pequenas candeias que trazem para a missa e, no fim da missa, todos se juntam para um pequeno almoço feito de pão especial e doces próprios desta ocasião.

No CAB não se vai realizar esta tradição, mas adapta-se para uma Missa vespertina, em que o elemento da luz estará muito presente. Será uma liturgia mais cuidada, quer ao nível dos símbolos, quer sobretudo a nível de cânticos, onde um coro e uma pequena orquestra de sopros e cordas ajudarão a entrar melhor neste espírito de Advento.

De facto, uma Missa deste género tem como intenção fazer também perceber que a oração da Igreja precisa de símbolos e ritos que despertem os sentidos do corpo. A luz, as músicas, os cheiros, tudo ajuda a que a oração seja mais do que exprimir palavras ou sentimentos, faz com que rezar em comunidade seja também uma experiência corporal e sensível. Assim, aqui fica o convite, para que esta ocasião seja uma oportunidade de, em comunidade, celebrar a maravilha de Deus que vem até nós e perceber como a nossa vida é totalmente iluminada e preenchida com a sua presença. Que o nosso coração receba esta chuva de graça, que é a própria vida de Deus, é a grande intenção do Advento.


Sem comentários: