21 de dezembro de 2010

uma palavra e uma música

«naqueles dias, MARIA pôs-se a caminho e dirigiu-se apressadamente para a montanha» MARIA corre apressadamente para a montanha... porque vai apressadamente? porque corre? como são belos os pés da mensageira que anuncia e, mais ainda, leva em si mesma a PAZ.

MARIA vai ter com Isabel, mas é DEUS que vem ter connosco! Um texto e uma música traduzem a fisionomia do sonho que guiou MARIA no caminho... transportando a verdade feita vida


Eis a voz do meu amado!
Ele aí vem, transpondo os montes, saltando sobre as colinas.
O meu amado é semelhante a uma gazela
ou ao filhinho da corça.
Ei-lo detrás do nosso muro,
a olhar pela janela, a espreitar através das grades.
O meu amado ergue a voz e diz-me:
«Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem.
Já passou o inverno,
já se foram e cessaram as chuvas.
Desabrocharam as flores sobre a terra;
chegou o tempo das canções
e já se ouve nos nossos campos a voz da rola.
Na figueira começam a brotar os primeiros figos
e a vinha em flor exala o seu perfume.
Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem.
Minha pomba, escondida nas fendas dos rochedos,
ao abrigo das encostas escarpadas,
mostra-me o teu rosto, deixa-me ouvir a tua voz.
A tua voz é suave e o teu rosto é encantador».

Cant 2, 8-14



2 comentários:

Anónimo disse...

depressa, mais depressa,

Anónimo disse...

sim, mais depressa