29 de janeiro de 2011

"Simplesmente" isto (Mt 5,1-12)

Imagina apenas que alguém vem ter contigo, e sussurra no teu ouvido,

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dês Céus”.

“Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”.

“Bem-aventurados os humildes, porque possuirão a terra”.

“Bem-aventurados os que têm fome e sede da justiça, porque serão saciados”.

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”.

“Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus”.

“Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus”.

“Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino dos Céus”.

“Bem-aventurados serás, quando, por minha causa, te insultarem, te perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra ti”.

“Alegra-te e exulta, porque é grande nos Céus a tua recompensa”.


“Bem-aventurados??".

Bem-aventurados.


“Simplesmente” isso. E... de qué maneira!!


Acrescentar palavras escritas não sempre melhora as pronunciadas.

E não foram tanto sussurradas, quanto proclamadas.


Desculpa a minha brevidade, mas o meu melhor contributo é deixar-te

com o sabor interpelante desta mensagem.

1 comentário:

Carlos Ricardo Soares disse...

Ao ler estas palavras percebi que o cristão não deve bastar-se com viver os Evangelhos para si, mas também, dá-los a conhecer, por muitos dissabores que isso lhe traga. O poder das palavras, tantas vezes referido por poetas, também está em elas nem sempre serem completamente substituíveis. As palavras podem operar o que nada mais pode.
Ou estarei a exagerar?
Um abraço