23 de fevereiro de 2011

Equipa de Arquitetura da Pastoral da Cultura projeta três exposições

A equipa de arquitetura do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura está envolvida na preparação de três exposições relativas a projetos portugueses e internacionais, iniciativas que também vão inspirar debates sobre o tema.

O arquiteto João Alves da Cunha salienta que o grupo de trabalho tem sentido a importância de «criar plataformas» «e pontos de encontro», já que apesar de haver «muita gente interessada» no tema, não se tem produzido uma «reflexão conjunta».

Uma das mostras em preparação tem como origem a igreja de Marco de Canaveses, inaugurada em 1996, «indiscutivelmente uma referência e um ponto de chegada, mas também um ponto de partida», considerou o responsável em entrevista ao programa Ecclesia na Antena 1.

A iniciativa pretende inquirir o que aconteceu à arquitetura religiosa em Portugal depois da abertura daquele templo projetado por Siza Vieira, através de uma «exposição de grande qualidade» e «muito abrangente», que não se vai fechar na Igreja Católica mas pretende estabelecer uma «grande transversalidade» com o meio cultural e a sociedade.

O grupo da Pastoral da Cultura, de que faz parte o arquiteto e padre jesuíta João Norton, está também a organizar uma mostra ligada a um prémio atribuído por uma fundação italiana: «A exposição já está em Portugal, nas nossas mãos», adiantou João Alves da Cunha.

«A intenção – acrescentou – é dar-lhe alguma itinerância, nomeadamente Lisboa, Évora e Porto», cidades onde haverá eventos associados, como conferências, debates e visitas a igrejas.

Os planos da equipa passam também pela colaboração com o Secretariado das Novas Igrejas do Patriarcado de Lisboa, que em 2011 assinala 50 anos.

«Provavelmente é o espaço em Portugal onde mais se trabalhou, refletiu e explorou tudo o que se possa pensar em relação à arquitetura religiosa», sublinhou João Alves da Cunha.

A parceria prevê o lançamento de um guia com imagens e textos da arquitetura religiosa do último meio século, contribuindo para aprofundar «uma reflexão mais continuada».

As comemorações do aniversário incluem a realização de um colóquio evocativo da história do Secretariado e que apresente perspetivas sobre o «o que deverá ser a Igreja para esta sociedade» nos próximos anos.

Lígia Silveira / Rui Martins
© SNPC | 22.02.11

Sem comentários: