2 de maio de 2011

Bernard Lonergan: uma filosofia integral

O ano de 1904 viu nascer na Alemanha o grande teólogo Karl Rahner, mas do outro lado do Oceano Atlântico, em Buckingham, na região do Quebec, cidade situada entre o Canadá e o Estados Unidos da América, nascia outro grande teólogo e filósofo do século XX, de seu nome Bernard Joseph Francis Lonergan, cujo reconhecimento foi prestigiosamente consagrado recebendo quatro prémios internacionais pela sua produção filosófica e teológica e ainda dezassete doutoramentos “honoris causa”.

Filho de Gerald e Josephine, Bernard Lonergan nasceu do dia 17 de dezembro, tendo frequentado a escola primária dos Irmãos das Escolas Cristãs de Buckingham, passando com 13 anos, em 1918, para o Colégio dos Jesuítas em Montreal, onde continuou os estudos.

A 29 de julho de 1922 entra no noviciado de Guelph (Ontário) da Companhia de Jesus. Este será o tempo inicial da sua formação religiosa, que também dedica a algumas matérias académicas na qualidade de autodidata. Em 1926 vai para Inglaterra, onde inicia os estudos de Filosofia. Simultaneamente matricula-se em Latim, Grego e História de Roma, tendo ainda tempo para se dedicar ao estudo das ciências exatas, nomeadamente a Matemática. E também estuda Francês.

Terminada a formação em Filosofia, Lonergan inicia em 1930, em Montreal, o tempo de “magistério”, que visava a formação dos candidatos à vida sacerdotal e religiosa. No Loyola College ensina línguas mas também cálculo, geometria e física. Até que no ano de 1933 é enviado com outros estudantes canadianos para a Universidade Gregoriana de Roma, onde frequenta a Faculdade de Teologia até 1937. Nesse ano parte para a cidade francesa de Amiens, regressando a Roma em 1938 para dar seguimento aos seus estudos de doutoramento, que terminará no ano de 1940 com uma tese sobre o tema da graça e da liberdade em São Tomás de Aquino. Concluído este grau académico, passa a lecionar Teologia nos seminários da Companhia, primeiro em Montreal e depois em Toronto.

A partir de 1953 inicia a docência de Teologia Dogmática na Universidade Gregoriana de Roma, onde permanecerá como professor durante 13 anos. Neste período publica várias obras, entre as quais se destaca, no campo da Filosofia, “Insight: A Study of Human Understanding” (1957); e no domínio da Teologia “De Verbo incarnato”, em quatro volumes (1962).

A sua obra é vasta, escrevendo sobre a Trindade, Cristologia, Eclesiologia, Teologia Fundamental e Filosofia. Entretanto participa no II Concílio Ecuménico do Vaticano (1962-1965) como perito, nomeadamente na terceira e quarta sessões. Eem 1965 tem de ser operado pois fora-lhe diagnosticado um cancro da língua.

Após a recuperação volta para Toronto, lecionando num horário mais leve que lhe deixa espaço para a investigação e a escrita. Em 1972 publica “Method in Theology”.

Entre 1975 e 1983 reside no Boston College, Massachusetts, onde se dedica a uma intensa atividade académica que inclui conferências, lições e seminários, tanto nos Estados Unidos, onde se encontrava, como no Canadá, onde se estabeleceria de modo definitivo em 1984, morrendo nesse ano a 26 novembro, aos 79 anos. São deste período alguns escritos sobre moral e economia, entre os quais se destacam: “The Human Good” (1979), e “Macroeconomic Dynamics: An Essay in Circulation Analysis” de publicação póstuma em 1998.

L. Oliveira Marques
© SNPC | 21.04.11

5 comentários:

Sinais no Mundo disse...

As Saudações em Jesus e Maria. Gostaria que adicionassem o blog Sinais no Céu ao vosso. Também já vos adicionei. Obrigado
Aguardo a Vossa Visita e Carinho em Cristo Ressuscitado.
Obrigado que o Imaculado Coração de Maria derrame sobre vós as Suas maiores Graças Santificantes.

Anónimo disse...

E os pastores deixaram os pescadores.
ψάρια.

Anónimo disse...

Ictius

Anónimo disse...

"ichthys", "ictus", "icthus" "ichthus"

Significado: "o golpe"

O peixe, foi o símbolo do golpe.
Rápido, explosivo.

Anónimo disse...

http://ia600208.us.archive.org/23/items/deverboincarnato00loui/deverboincarnato00loui.pdf