15 de setembro de 2011


II Jornadas Fé e Ciência
Deus, Acaso e Determinismo


Terão lugar no próximo dia 8 de Outubro as II Jornadas Fé e Ciência, subordinadas ao tema “Deus, acaso e determinismo.” As Jornadas são realizadas pelo Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Faculdade de Filosofia, e inserem-se na inserem-se no Projecto de Investigação “Ciência, Filosofia e Teologia em confronto e diálogo”.
O tema proposto como objecto de investigação é o da implicação do conceito de ‘acaso’ na ideia de um Criador. O problema é colocado de um modo claro por David J. Bartholomew no seu livro God, Chance and Purpose. Can God have it both Ways?.da seguinte forma:

“The problem is to reconcile the central place which chance has in the scientific account of the world with the theological account of God’s relationship to the world. Chance suggests lack of purpose; theology speaks of purpose. This long-running source of tension has come to the fore again in the claims of the Intelligent Design movement, which aims to eliminate chance in favour of design. Quantum theory, which places chance at the heart of matter, poses essentially the same question for theologians.”

11 comentários:

Anónimo disse...

Sem dizer que há provas da inexistência de deus, parece que não há ninguém que prove a existência de deus. Tal como não há provas que Plutão não tem influência na nossa vida. Mas parece que não há ninguém que prove que Plutão tem influência na nossa vida.

Assim teologia e astrologia são disciplinas que carecem da prova da sua própria realidade e de que não são apenas de fantasia...

Anónimo disse...

Tentar filosofar sobre "acaso" sem dominar as formulações matemáticas estatísticas? É que estatística não é usar estimadores da média, ou da mediana, ou da moda, ou desvio padrão, ou teste ANOVA,

Entender como se encontram esses estimadores, que pressupostos e aproximações permitem encontrar tais estimadores, será mais próximo do que é encontrar uma estatística.

Seria melhor filosofar sobre as crenças dos pressupostos da análise Bayesiana ou de máxima verossimilhança ou de máxima entropia, e tentar perceber o domínio de aplicação de cada uma, do que tentar falar de acaso, por acaso...

É que falar de estatísticas de Bose ou de Fermi sem ter as bases é como falar de bolos sem saber cozinhar... "ai, eu gosto muito do bolo... eu também".

David J. Bartholomew parte da premissa de que deus existe. Basta olhar para a natureza e verificar que na natureza há determinismo (alguém consegue parar o próximo eclípse?) e livre-arbítrio, (alguém pode dizer se, ao sair da porta, se vai para o lado esquerdo ou lado direito?).

Relativamente à teoria quântica, algo que devia ser mais simples por ser discreto versus contínuo, contínua a merecer análise filosófica, de interpretação.

A convenção actual da reunião de Copenhagen não elimina a visão de David Bohm. A questão do acaso fica refém da geração da matéria e sua destruíção... ou serão apenas ondas?

Porque consideram a convenção de Copenhaga e não a interpretação de David Bohm? Só isso retira a dualidade acaso e determinismo na teoria quântica...

Anónimo disse...

Parece que os teólogos vão financiar o desenvolvimento da teoria de David Bohm... :)

Anónimo disse...

Financiamento?
Ainda não percebem que não é necessário ouro para levantar o templo. Basta o livro...
Voluntariado para desenvolver a teoria de Bohm e eternidade chega?

Anónimo disse...

O corpo ainda tem que viver... a alma não faz o mesmo...

Anónimo disse...

Afinal David J. Bartholomew não é convidado...

Anónimo disse...

O determinismo. Está nas escrituras.O medo do fim da religião. Petrus Romanus.

Anónimo disse...

Quantum Theory, David Bohm, Dover, ISBN 0-486-65969-0.

Throughout the text, Professor Bohm places strong emphasis on showing how the quantum theory can be developed in a natural way, starting from the previously existing classical theory and going step by step through the experimental facts and theoretical lines of reasoning which led to replacement of the classical theory by the quantum theory.

Anónimo disse...

...e o que nos vai passa a nos, ignorantes, que nao entendemos de palavras caras?! A quem ensinaram a acreditar, a ler, a pensar; sabemos que temos corpo e alma.(???????????????????????????????)

Anónimo disse...

O papa acha que com deus há futuro... sem dizer qual... pode ser de pobres a suplicar por caridade...

As estrelas dizem que há mudança, ainda no dia 23 de Setembro passamos o equinócio e os dias vão ser mais pequenos e frios... para já está calor... ;)

Se começar por comprar um dicionário pode ser que aprenda as palavras caras né?

Não tem dinheiro? como escreveu aqui... tente:

http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx

Anónimo disse...

Aos ignorantes vai acontecer o mesmo que às criancinhas, ficam a saber que o pai natal não existe e a vida continua.