3 de dezembro de 2011

O vento do deserto não interessa a ninguém.

Haverá vento sempre.

O fiel companheiro dos nómadas que passam, vai para onde não se vê.

No meio da cidade sopra o vento do deserto.

É o vento do mundo, mudo, que rasga os cantos duros e indiferentes do betão armado.