5 de fevereiro de 2012

A cidade inteira ficou reunida diante da porta…

Depois de Jesus ter curado a sogra de um amigo, eis que ao final da tarde a cidade inteira se veio amontoar à porta da casa onde Ele estava.
Hoje, as nossas cidades continuam cheias de gente angustiada, preocupada, doente, cansada, à procura de alívio, de descanso ou de libertação. Se soubéssemos que Jesus estava em alguma casa, talvez nos amontoássemos de novo à porta de sua casa, à espera que Ele nos arranjasse solução para os nossos problemas. Apesar das igrejas vazias, não faltam hoje “casas” que nos oferecem solução para os nossos problemas, mas a verdade é que a cidade continua cheia de gente doente, cansada e preocupada.
Então, onde estará o problema? Talvez andemos a bater à porta errada… Ainda não nos apercebemos que, afinal, a porta continua aberta e Jesus está ali à nossa espera para nos libertar. No entanto, não o queremos reconhecer. Achamos que conseguimos resolver tudo, que temos força para tudo. E cansamo-nos. E vivemos com o coração atribulado. E deixamos que a vida nos engula. Mas insistimos: sou capaz! Consigo resolver os meus próprios problemas!
Jesus, porém, não se cansa de repetir: “vem a mim, tu que vives cansado e atormentado. Descansa em mim.”. Mas nós seguimos, de ouvidos surdos, acreditando muito em nós, julgando que isto são coisas muito bonitas que vêm na Bíblia, mas depois...
E se eu aceitasse, uma vez que fosse, acreditar neste Deus que cura os corações atribulados? Que diferença faria na minha vida?

Mc 1, 29-39