12 de fevereiro de 2012

«Se quiseres, podes curar-me»

Nas leituras da Missa de hoje, parece-me ser bem visível a relação, o encontro, a complementaridade entre a primeira leitura, do Livro do Levítico e o Evangelho segundo S. Marcos. E isto principalmente por duas razões.

A primeira na medida em que essa sequência pode ser vista como um sinal de que Deus Pai, que Jesus nos vem dar a conhecer é, tal como várias vezes referido nos Evangelhos, o mesmo Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob. O Deus de Moisés e de Elias, como Jesus nos indica na Transfiguração. É o Deus que acompanha a história da humanidade, porque seu Criador constante, que não nos deixa desamparados, porque nos ama de tal forma que nos entregou o Seu Filho Unigénito, o Seu Filho muito amado.

A segunda, tem a ver com o facto de muitas vezes vermos Jesus apenas como um outro homem, ou como alguém que quer revogar o que parece ser mais humano, o que é criado pelo homem. Neste caso concreto revogar as leis humanas. Na verdade, ouvir Jesus dizer: “… e vai-te mostrar ao Sacerdote”, sem termos lido a primeira leitura, pode ser mais difícil de compreender. Será que o importante é que o Sacerdote veja o milagre de Jesus? Queria Jesus “exibir” o Seu milagre ao Sacerdote? Sacerdote era, na época de Moisés, um mediador entre Deus e os homens e mulheres. No entanto, no Novo Testamento, com Jesus Cristo, surge a Boa Notícia de que todos os cristãos são sacerdotes, no sentido que através de Jesus Cristo temos livre acesso a Deus. Escreve S. João no Livro do Apocalipse: “…Àquele que nos ama e nos purificou dos nossos pecados com o seu sangue, e fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai; a Ele seja dada a glória e o poder pelos séculos dos séculos. Ámen!” (Ap 1, 5-6). Queria Jesus sobrepor-se às leis humanas de Moisés?
Ou será, simplesmente, que Jesus nos está a querer dizer que não quer eliminar as leis humanas? Quer dizer-nos que Ele quer completá-las, pois Ele é fonte de uma vida nova.

Na verdade, com tantas leis humanas, continuamos a ver cadeias cheias de presos, que, grande parte das vezes, vivem situações inumanas. Com todas as leis humanas vemos cada vez mais o desemprego a aumentar, a pobreza a aumentar, as diferenças sociais a aumentar, o desespero a aumentar, o ódio a aumentar, a dor a aumentar…
Todas as leis humanas chegam? Mais leis humanas resolveriam todas essas questões? Onde procurar tantas “curas”?

Jesus quis curar o leproso. Tal como ele, procuremos pedir a Jesus que nos cure. Procuremos também olhar uns pelos outros, ajudarmo-nos uns aos outros. Talvez em conjunto seja mais fácil ver que as curas de Jesus surgem muitas vezes naquilo que acontece nas nossas vidas para além do cumprimento das leis humanas.

LEITURA I  Lev 13, 1-2.44-46
SALMO      31 (32), 1-2.5.7.11 (R. 7)
LEITURA II 1Cor 10, 31 – 11, 1
EVANGELHO  Mc 1, 40-45
IMAGEM     Estudo para a "Transfiguração", de Raffaelo