12 de março de 2012

Onde me encontro



Não há verdadeira filosofia numa atitude de fuga: à filosofia é essencial a vontade de ficar e perscrutar. Se a vida é uma constante corrida para a frente, em que se tenta habitar o vazio enchendo-o com ruído e atividade frenética, então esta vontade de ficar contraria o que parece ser o impulso atual de viver para o momento. Então esta vontade de ficar é a coragem de assumir a radical solidão de quem vive este momento, encontrando-me só, não alheado, mas perante outro, e sentindo-me impelido para ele, ganhando corpo a minha existência na comunicação.