1 de abril de 2012

Bendito o que vem em nome do Senhor!



Entramos hoje na semana maior da nossa fé: a Semana Santa. E nada mais estranho, para começar uma “semana maior”, que o episódio de um homem – que a população aclama como Rei – montado num burro, a entrar na capital do Reino. É uma cena que ultrapassa qualquer esquema humano de glória, de prestígio, de nobreza… Um Rei que entra na cidade montado num burro?!

Penso que a leitura da Carta aos Filipenses[1] nos ajuda a ler este episódio. Ele, que é de condição divina, não considerou como uma usurpação ser igual a Deus; no entanto, esvaziou-se a si mesmo, tomando a condição de servo. Parece-me que esta é a chave de leitura para entendermos que tipo de Reino veio Jesus instaurar. Um Reino de humildade e de simplicidade; um Reino no qual o outro está à minha frente, não para me menosprezar, mas para lhe dar o lugar que ele merece. Um Reino que não esmaga o outro, que não pisa o outro, mas que dá espaço para a opinião diferente, para cada um ser em plenitude.

Olhar para Jesus montado num jumento, parece-me uma boa imagem para entrarmos na Semana Santa, e no mistério de um Deus que dá a vida pelo Homem. Deste Deus que se faz um de nós, para nos elevar à sua grandeza. A grandeza da simplicidade.



[1] Fil. 2, 6-11.



[Imagem: Entrada de Jesus em Jerusalém, Giotto]