6 de maio de 2012

DOMINGO V da PÁSCOA | A VIDeirA


Olhar para uma videira poderá remeter-nos para a beleza da Natureza. Para a beleza que não criámos, que não produzimos, mas que devemos ir cuidando.
Olhar para a pessoa que está ao nosso lado remete-nos também para a beleza de todas e de cada pessoa. Na verdade, mesmo tendo sido concebida pelo ser humano, a vida dessa pessoa não foi por nós criada. É uma vida que vem ao nosso encontro, a qual devemos ir cuidando.

Estes cuidados com a videira e com a pessoa, têm obrigatoriamente que se traduzir em acções. Nunca uma videira poderá dar frutos se não houver trabalho, cuidado, humano. Acabará por morrer, sem dar frutos. Deixará de ser beleza. Nunca uma pessoa abandonada poderá dizer que viveu uma vida verdadeira. A quem contará a sua vida? A quem transmitirá a sua vida, os seus frutos? Morrerá mesmo antes de morrer. Deixará de ser beleza. Por isso, quem disser que cuida da videira ou do próximo mas nada fizer para isso, não estará verdadeiramente a Cuidar. Diz-nos hoje São João: “Meus filhos, não amemos com palavras e com a língua, mas com obras e em verdade” (1 Jo 3, 18).

No Evangelho de hoje, Jesus, ao comparar-se a uma videira, quer falar-nos desse Amor, do único que Cuida, que é fruto e que faz nascer novos frutos.
Com esta parábola, Jesus diz-nos algo ainda maior. Diz-nos que, para além de termos de ser cuidadores das videiras e de sermos agraciados com os seus frutos, não nos podemos esquecer que também somos ramos das próprias videiras. Assim, também cada um de nós precisa do alimento que nos permitirá dar fruto. Na verdade, como é que a videira dá fruto? A videira não se alimenta do seu próprio fruto, alimenta-se da seiva. O fruto da videira serve de alimento, mas não para ela própria.
Se Jesus é a videira, e nós somos os ramos, então, só produziremos fruto, as tais obras que geram, que são, Amor, se estivermos ligados. Diz-nos Jesus: “Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim e eu nele, esse dá muito fruto, porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15, 5). Só através de Jesus poderemos receber o verdadeiro alimento.
É por isso que, neste tempo Pascal, na VIDA, continuamos a viver com Alegria. Com a Alegria de Jesus Cristo Ressuscitado. A Alegria de Deus que nos chega por Jesus que, por cada um de nós, Se faz verdadeiro alimento para que possamos dar fruto.


Leituas do Domingo V da PÁSCOA
LEITURA I Actos 9, 26-31
SALMO RESPONSORIAL Salmo 21 (22), 26b-27.28.30.31-32 (R. 26a)
LEITURA II 1 Jo 3, 18-24
EVANGELHO Jo 15, 1-8