29 de julho de 2012

Missa sobre o Mundo

O texto místico mais importante de Teilhard de Chardin, sacerdote Jesuíta, é “A Missa sobre o mundo” que Teilhard fez quando estava no deserto de Ordos, (China) numa expedição científica e não tinha condições de celebrar a missa na festa da Transfiguração que ele particularmente amava. Para ele, a presença de Cristo na Eucaristia
transbordava da hóstia sobre o mundo.
“Para além da hóstia transubstanciada, a operação sacerdotal se estende ao cosmos inteiro”. “A transubstanciação se expande em uma divinização real, embora atenuada, de todo o universo. Do elemento cósmico onde está inserido, o Verbo age para subjugar e assimilar a si todo o universo”. “A Eucaristia opera, além da transubstanciação do pão, o crescimento do Corpo místico, e a Consagração de todo o cosmos”. O texto é de grande vibração mística e de muita beleza literária. Vejamos o seu começo:

“Senhor, já que uma vez ainda, não mais nas
florestas da França, mas nas estepes da Ásia, não tenho
pão, nem vinho, nem altar, eu me elevarei acima dos
símbolos até à pura majestade do Real, e vos oferecerei,
eu, vosso sacerdote, sobre o altar da terra inteira, o
trabalho e o sofrimento do mundo”.

 
“O sol acaba de iluminar, ao longe, a franja
extrema do primeiro oriente. Mais uma vez, sob a toalha
móvel de seus fogos, a superfície viva da Terra desperta,
freme, e recomeça seu espantoso trabalho. Colocarei
sobre minha patena, meu Deus, a messe esperada desse
novo esforço. Derramarei no meu cálice a seiva de todos
os frutos que hoje serão esmagados.

 
“Meu cálice e minha patena, são as profundezas de
uma alma largamente aberta a todas as forças que, em
um instante, vão elevar-se
de todos os pontos do Globo e
convergir para o Espírito”.

 
“Outrora, carregava-se
para vosso Templo as
primícias das colheitas e a flor dos rebanhos. A oferenda
que esperais agora, aquela de que tendes
misteriosamente necessidade cada dia, para aplacar
vossa fome, para acalmar vossa sede, não é nada menos
do que o crescimento do mundo impelido pelo devir
universal”.

 
“Recebei. Senhor, essa hóstia total que a criação,
movida por vossa atração, vos apresenta na nova
aurora”.


(Texto de Teilhard em Hymne de l'Univers, apresentado por Paulo Meneses)

3 comentários:

Cisfranco disse...

Bonito texto.
Obrigado

Streetwarrior disse...

Senão me falha a memória, O Sacerdote Jesuita Teilhard de Chardin, foi um dos maiores pioneiros do Trans-Humanismo.
Estarei correto?

Nuno

alfredo dinis disse...

Caro Nuno,
Teilhard de Chardin (1881-1955) foi um visionário, e realmente falou do futuro da Humanidade como um Trans-Humanismo, mas sempre no contexto Cristão.

Cordiais saudações.