2 de julho de 2012

Santos da rua onde moro

 Prostitutes around a dinner table, Toulouse-Lautrec

O Bernardino, o Francisco, o Julião, o Francisco e o António são hoje recordados pela Igreja. São jesuítas e são padres. O que têm estes cinco em comum que pode levar a Companhia a festejá-los no mesmo dia? Que grandes feitos, obras, milagres realizaram? Viveram cristãmente. A sua vida é um elogio da simplicidade: dedicaram as suas vidas à atenção ao quotidiano, vivendo de forma extraordinária aquilo que lhes foi dado viver, da pacatez esforçada dos trabalhos agrícolas ao bulício ensurdecedor dos meios urbanos.. 

 O Bernardino, o Francisco, o Julião, o Francisco e o António entregaram-se ao paciente trabalho do encontro e da reconciliação, conscientes da importância que tem confrontar-nos connosco próprios e com outros que nos ajudem a fazer o caminho. Por isso hoje os lembramos, para que eles nos possam recordar a importância de correr todas as portas em derredor falando do quotidiano, do dia-a-dia, sublinhando o que é essencial. 

A intensidade de um testemunho cristão não se mede pelo esplendor, ruído ou brilho, mas pela autenticidade e genuinidade. Precisamos de um olhar que ilumine, que nos permita vislumbrar a realidade, e ir além da intenção de salvar o mundo inteiro, dedicando-nos  a cuidar da rua onde moramos.



O Bernardino, o Francisco, o Julião, o Francisco e o António 
são recordados pela Igreja como S. Bernardino Realino, 
S. Francisco de Régis, B. Julião Maunoir, S. Francisco 
de Jerónimo e B. António Baldinucci.

Sem comentários: