1 de outubro de 2012

Os Atributos da vida


Os Atributos da vida*
Afinal o significa viver, o que é então a vida?

Viver é essa realidade estranha, única que tem o privilégio de existir para si mesma. Todo o viver é viver-se, sentir-se vivo, sentir-se existindo, é uma revelação, um não contentar-se com ser, mas compreender o que se é, um inteirar-se. É a descoberta incessante que o sujeito faz de si mesmo e do mundo em redor. O sujeito, ao perceber-se e ao tomar posse de si mesmo, o assistir a quanto faz e é diferencia o viver das demais coisas. O ver-se a si mesmo é o atributo essencial e primeiro da vida em si.



   Viver é saber o que fazer, encontrar-se a si mesmo no mundo e ocupar-se com os seres e as coisas do mundo, sendo este aquilo que nos afecta. Todo o viver é ocupar-se com o outro que não a si próprio, é uma circunstância, pois encontramo-nos aqui e agora, num lugar específico, a que não podemos renunciar, e este carácter súbito e imprevisto é essencial à vida. Esta é-nos dada, é nos atirada e nós a ela e isso é um problema que temos de resolver nós próprios. Mas é importante notar que esta vida que nos é dada não é pré-determinada, constantemente temos de resolver problemas independentemente da sua importância sem podermos recorrer a terceiros e somos forçados a fazer escolhas e a tomar decisões. Esta é a dimensão de liberdade da nossa vida. A dimensão de fatalidade associada à da liberdade. Somos atirados para a vida e apesar disso temos a possibilidade de a construir. A nossa vida é o nosso Ser, um Ser decidido e construído por nós. Somos um Ser que para além do que somos, seremos, portanto somos algo que ainda não é, somos Seres para o futuro.


* Ortega y Gasset, José, Qué es filosofía?, Obras Completas, t. VII, Revista de Occidente, Madrid, 1961, pp 413-420.






Sem comentários: