18 de novembro de 2012

Mc 13, 24-32

Em vésperas de eternidade andamos todos, pois "todas estas coisas hão-de acontecer antes de desaparecer a gente deste tempo".

Hino do Átrio dos Gentios

Coração, átrio do mundo
onde cada abraço espera
a surpresa do encontro,
sintonia da viagem,
com a cor da Primavera
no calor das nossas mãos.

Os crentes e os nãos crentes
partilham o caminho,
e encontram de mãos dadas
os sonhos e as sementes,
as dores e as alvoradas,
o amor, o pão e o vinho.

Não há judeu nem grego,
não há escravo nem livre,
nem homem nem mulher.
O amor é a nossa paz.
De dois povos faz um
quando a gente quiser.

Se eu nã tiver amor
sou bronze que ressoa.
Por muito que eu conheça,
por muita fé que eu tenha,
se eu não tiver amor,
até que o amor me doa.

Agora é confuso.
É como num espelho
da nossa imperfeição.
Depois, então, veremos,
em mais perfeito amor,
face a face o nosso irmão.

                                                                (M.H. Vieira)


                                            
                                                             

1 comentário:

Ilídio Barros disse...

http://padrepauloricardo.org/episodios/ja-e-ainda-nao