25 de dezembro de 2012

Natal



Nós enchemos o presépio de brilho mas o que lá há não é brilho, é Luz. 
O brilho distrai e ofusca, a luz ilumina e guia.
Quem brilha, tal como uma lâmpada ou o sol, um dia implodirá; 
quem ilumina, iluminará para sempre. 



Evangelho segundo João
No princípio era a Palavra.
A Palavra estava com Deus,
e a Palavra era Deus.
Aquele que é a Palavra estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por meio dele,
e sem ele nada foi criado.
Nele estava a vida,
vida que era a luz dos homens.
A luz brilha nas trevas,
trevas que não a venceram.
Houve um homem enviado por Deus que se chamava João.
Ele veio para dar testemunho,
para dar testemunho da luz,
para que todos cressem por meio dele.
João não era a luz,
mas foi enviado para dar testemunho da luz.
Aquele que é a Palavra era a luz verdadeira;
Ele ilumina toda a gente ao vir a este mundo.
Ele estava no mundo,
mundo que foi feito por ele.
O mundo não o conheceu.
Ele veio para o seu próprio povo
e o seu povo não o recebeu.
Mas a todos quantos o receberam,
aos que crêem nele,
deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.
Estes não nasceram de laços de sangue,
nem da vontade da carne, nem da vontade do homem,
mas nasceram de Deus.
A Palavra fez-se homem
e veio habitar no meio de nós,
e nós contemplámos a sua glória,
como glória do Filho único do Pai,
cheio de graça e de verdade.
João deu testemunho dele ao proclamar: «Era deste que eu dizia: Aquele que vem depois de mim é mais importante do que eu, porque já existia antes de mim.» Todos nós participámos da abundância dos seus bens divinos e recebemos continuamente as suas bênçãos. É que a Lei foi-nos dada por intermédio de Moisés, mas a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Nunca ninguém viu Deus. Só o Deus único, que está no seio do Pai, o deu a conhecer.

Sem comentários: