1 de dezembro de 2012

S. Edmundo Campion e companheiros mártires




Iniciámos o passado mês de Novembro com a celebração de Todos os Santos. Um mês depois, será bom recordar a afirmação, por parte do Concílio Ecuménico Vaticano II, de que todos os cristãos são igualmente chamados à santidade de vida, e esta é para ser tomada em toda a sua exigência: «... todos na Igreja, quer pertençam à Hierarquia quer por ela sejam pastoreados, são chamados à santidade, segundo a palavra do Apóstolo: “esta é a vontade de Deus, a vossa santificação” (1 Tes 4, 3; cfr. Ef, 1, 4)» (Lumen gentium, 39)
Hoje a Companhia de Jesus recorda alguns dos seus mártires 10 santos e 18 beatos que nos séculos XVI e XVII foram mortos pela profissão da fé católica na Inglaterra e no País de Gales.
Estamos habituados a ver S. Edmundo Campion e companheiros mártires, mas parece importante saber ao menos os nomes dos homens que deram a vida por causa do evangelho. À frente do nome é indicada a data do martírio.
* S. Edmundo Campion (P)           1.12.1581     
* S. Roberto Southwell (P)          21.02.1595     
* S. Alexandre Briant (P)               1.12.1581     
* S. Henrique Walpole (P)              7.04.1595     
* S. Nicolau Owen (I)                    2.03.1606     
* S. Tomé Garnet (P)                    23.06.1608     
* S. Edmundo Arrowsmith (P)    28.08.1628     
* S. Henrique Morse (P)                 1.02.1645     
* S. Pilipe Evans (P)                     22.07.1679     
* S. David Lewis (P)                    27.08.1679     
** B. Tomé Woodhouse (P)         19.06.1573     
** B. João Nelson (P)                     3.02.1578     
** B. Tomé Cottam (P)                30.05.1582     
*** B. João Cornelius (P)              4.07.1594     
*** B. Francisco Page (P)            20.04.1602     
*** B. Rodolfo Ashley (I)              7.04.1606     
*** B. Eduardo Oldcorne (P)         7.04.1606     
*** B. Tomé Holland (P)              12.12.1642     
*** B. Rodolfo Corby  (P)              7.09.1644     
*** B. Pedro Wright  (P)               19.05.1651     
*** B. Guilherme Ireland  (P)       24.01.1679     
*** B. João Fenwick  (P)              20.06.1679     
*** B. João Gavan (P)                  20.06.1679     
*** B. Guilherme Harcourt  (P)    20.06.1679     
*** B. Tomé Whitbread (P)          20.06.1679     
*** B. António Turner (P)            30.06.1679     
**** B. Rogério Filcock (P)         27.02.1601     
**** B. Roberto Middleton (P)      3.04.1601     

* Canonizados por Paulo VI a 25.10.1970.
** Beatificados por Leão XIII a 29.12.1886.
*** Beatificados por Pio XI a 15.12.1929.
**** Beatificados por João Paulo II a 22.11.1987.

A perseguição levou à condenação, pois era considerado crime de alta traição converter ou ser convertido à fé católica. Contudo, nem na cadeia estes jesuítas deixaram de pregar, acompanhar e dar os Exercícios espirituais. Enquanto comunidade davam conta de consciência uns aos outros, e faziam os seus planos apostólicos, mesmo atrás das grades. A conversão foi tal, que mesmo na cadeia houve candidatos a entrarem na Companhia, tornando-se um óptimo local de noviciado.

Que nos dizem a nós que lemos estas linhas hoje estes mártires? Que temos que ir para a cadeia evangelizar? Que temos que dar a vida numa cadeia por anunciar o evangelho? Se for por aí o caminho, muito bem, mas parece-me que ao comum dos cristão não é pedido que dê a vida deste modo épico. Parece-me que o testemunho destes mártires é para nós apelo a não ter medo de assumir, nas pequenas coisas do dia a dia, a verdade do evangelho. O papa Bento XVI dizia na quarta-feira passada o seguinte “falar de Deus quer dizer antes de tudo ter bem claro o que devemos levar aos homens e às mulheres do nosso tempo: não um Deus abstrato, uma hipótese, mas um Deus concreto, um Deus que existe, que entrou na história e está presente na história; o Deus de Jesus Cristo como resposta à pergunta fundamental do porquê e do como viver.”

Que estes mártires sejam para nós um estímulo a estas pequenas mortes para o nosso próprio amor querer e interesse.

Sem comentários: