16 de maio de 2013

S. André Bobola, presbítero e mártir

Das Cartas Decretais do papa Pio XI

"André Bobola consagrou-se inteiramente ao ministério sacerdotal, que exerceu primeiro em Vilna e depois em Bobrujsk com zelo admirável, que nem o trabalho contínuo, nem a aspereza do clima, nem as ameaças dos inimigos, nem a peste que em três anos assolou aquelas terras, puderam diminuir. Trabalhou para fortalecer a todos na perfeição cristã e para levar luz e consolação aos que tinham o espírito perturbado ou dominado pela superstição.
Ensinava diligentemente a doutrina cristã, tanto na cidade como no campo. Entrava nas casas dos pobres e até nos tugúrios mais miseráveis, procurando ganhar o coração de todos, para assim poder falar familiarmente com eles acerca dos dogmas da fé católica. Também não se esquecia dos presos e dos doentes, aos quais procurava aliviar com o seu auxílio.
A caridade de André para com o próximo manifestou-se de modo singular, quando, em 1625, e de novo quatro anos mais tarde, a Polónia foi invadida por uma peste maligna. Fez tudo para todos; e, juntamente com alguns companheiros, deu brilhante exemplo de caridade heróica. Sempre de rosto alegre, desprezando o perigo do contágio, cuidava dos corpos doentes, mas sobretudo da salvação das almas.
Enfrentou com serenidade o seu martírio, quando no dia 16 de Maio de 1657, não longe da aldeia de Peredil, perto de Janov, o prenderam, espancaram-no, esbofetearam-no e ataram-no com uma corda a um cavalo que o arrastou até Janov, onde seria executado."
Foi canonizado em 1938.

Sem comentários: