3 de junho de 2013

Papa critica «fiscais da fé» que fecham portas da Igreja

O Papa Francisco evocou como exemplo os casos de  mulheres solteiras que querem batizar um filho


Cidade do Vaticano, 25 maio 2013 (Ecclesia) – O Papa criticou hoje no Vaticano o que denominou de “fiscais da fé” que fecham as portas da Igreja e afastam as pessoas, dando como exemplo os casos de mulheres solteiras que querem batizar um filho.

“Pensai numa mãe solteira que vai à Igreja, à paróquia e diz ao secretário: ‘Quero batizar o meu menino’. E quem a acolhe diz-lhe: ‘Não tu não podes porque não estás casada’. Atenção: esta rapariga que teve a coragem de continuar com uma gravidez e não devolver o seu filho ao remetente, o que é que encontra? Uma porta fechada”, lamentou Francisco, na homilia da missa a que presidiu na capela da Casa de Santa Marta, onde reside.

Segundo o Papa, esta atitude “afasta as pessoas” e deriva da fixação no que “o protocolo não permite”.
“Jesus instituiu sete sacramentos e nós com esta atitude instituímos o oitavo: o sacramento da alfândega pastoral”, avisou.

Francisco pediu, por isso, que os “fiscais da fé” se transformem em “facilitadores da fé das pessoas”.
“Peçamos ao Senhor que todos os que se aproximam da Igreja encontrem as portas abertas, abertas para encontrar o amor de Jesus”, concluiu.

1 comentário:

Cisfranco disse...

Se bem que também tenha detratores (quem os não tem?), todos os gestos de Francisco e o que ele diz e como diz, encantam. Ele próprio é uma pérola da Igreja, uma dádiva ou benção de Deus...